Polícia Civil prende três pessoas por roubo qualificado em São Luís

Durante uma coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (21) no auditório da Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Civil por meio da Superintendência de Polícia Civil da Capital (Spcc) e da Superintendência Estadual de Combate à Corrupção (Seccor) deram mais explicações sobre a prisão do investigador da Polícia Civil Marcelo Pinto Pedrosa, 46 anos, Fernanda Martins Almeida Pedrosa , de 36 anos e Vanderlúcio Diniz Gomes , de 25 anos , suspeitos de terem participado de um crime de roubo, em São Luís.

O secretário de segurança Jefferson Portela, que também participou da coletiva, informou que câmeras de vídeo monitoramento instaladas na Avenida São Marçal no bairro do João Paulo, mostraram o momento exato em que Marcelo Pedrosa na companhia dos outros suspeitos, abordam e assaltam um idoso. Logo, o trio abordo de um veículo seguiram em fuga, sendo minutos depois interceptados por uma equipe da Polícia Militar, no bairro da Jordoa.

Seguindo os procedimentos padrões, os três suspeitos foram encaminhados ao plantão central da Vila Embratel, onde após serem ouvidos os seus esclarecimentos, logo foram liberados pelo delegado plantonista, atitude essa que gerou estranheza por parte da cúpula da segurança pública.

Após terem conhecimento do fato, equipes da Spcc e da Seccor deram inicios as diligências no intuito de localizar os três envolvidos no ato criminoso, tendo êxito ao final. Todos foram presos em flagrante delito pelo crime roubo qualificado com concurso de pessoas.

Por se tratar de um agente da Polícia Civil, Marcelo será encaminhado à Delegacia Especial da Cidade Operária (Decop), onde a partir de agora se torna preso de justiça, aguardando as decisões do Poder Judiciário. Já sobre a conduta do delegado que autorizou a liberação do suspeito, o delegado-geral, Lawrence Melo disse que o caso será encaminhado para ser analisado na Corregedoria da Polícia Civil do Maranhão, “ Eu repúdio o desvio de personalidade de uma agente da Polícia Civil”, ressaltou Melo.

Ainda participaram da coletiva, o superintendente da Seccor, Roberto Fortes e o superintendente da Spcc, Armando Pacheco que também acrescentaram mais informações sobre o caso, inclusive o fato de que Marcelo Pedrosa está afastando de suas funções há cerca de um ano por outros atos ilícitos.