SSP divulga dados da diminuição de crimes no interior e do aumento da apreensão de armas e entorpecentes

Homicídios dolosos e culposos diminuíram em todas as regionais no ano de 2016, enquanto cresceu o número de prisões e apreensões de armas de fogo e entorpecentes. 231 assaltantes de banco foram parar na cadeia.

A cúpula da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão reuniu-se na manhã desta segunda-feira (19), por volta das 14h, com o objetivo de elencar a redução dos homicídios e da criminalidade em geral no Maranhão.  As estatísticas da Polícia Civil demonstram, por dados, que as polícias estão trabalhando de forma enérgica no combate ao crime, não somente na capital, como também nos demais municípios maranhenses.

Na oportunidade, os gestores da Secretaria de Segurança Pública observaram que os números relacionados a 2015, e a 2016, só comprovam a significativa redução. O Secretário de Segurança, Jefferson Portela ressaltou que “Os dados estatísticos mostram, através metas estabelecidas, a tradução das ocorrências no quesito Segurança Pública. As 18 Regionais contabilizam que aconteceram inúmeras prisões em consequência das ocorrências registradas nos municípios maranhenses. Neste ano de 2016, foram entregues 35 viaturas para a Polícia Civil, destas 22 foram encaminhadas para as diversas regionais. Para o ano de 2017, serão investidos mais 20 milhões de reais, exclusivamente para a aquisição de viaturas destinadas somente aos municípios do interior do Estado”, informou.

Aumento das apreensões de armas de fogo e entorpecentes em Santa Inês, Pinheiro e Itapecuru-Mirim

Ainda na apresentação de dados estatísticos na SPCI, o superintendente de Polícia Civil do Interior, Dicival Gonçalves, destacou o trabalho da Polícia Civil com a consequente redução no número de homicídios dolosos. Os dados contabilizam uma drástica diminuição nas ocorrências de crimes contra a vida.

Na região de Santa Inês foram registrados 109 crimes contra a vida em 2015. Já em 2016, houve 66 mortes, uma redução de 39,5% nos homicídios dolosos. Já em relação aos homicídios culposos, o quantitativo foi de 22 homicídios em 2015 e 15 em 2016, uma redução de 31,8%.

Em relação às apreensões de entorpecentes, no ano de 2015 aconteceram 199 apreensões. Em 2016 houve 480 apreensões na regional, um aumento aproximado de 240,1%. A regional de Santa Inês fechou o ano de 2015 com 606 inquéritos policiais instaurados. Em 2016, os inquéritos já somam 965, ou seja, um aumento de aproximadamente 159,24%.

O município de Pinheiro foi marcado pelo número de 22 homicídios dolosos em 2015, sendo que em 2016 foram registrados 13 homicídios, contabilizando uma redução de 40%. Na regional de Pinheiro, a Polícia Civil realizou 60 casos de apreensões de entorpecentes no ano de 2015 e 134 em 2016, um acréscimo de 123% nas apreensões.

Foram feitas 46 apreensões de armas de fogo nesta regional no ano de 2015, sendo que em 2016 foram apreendidas 132 armas de fogo, um acréscimo considerável de 187%. Em relação às prisões, em 2015 foram 402 prisões em flagrante realizadas pela Polícia Civil; em 2016 ocorreram 603, um aumento aproximado de 50%.

O delegado Geral da Polícia Civil, Lawrence Melo informou que na regional do município de Caxias ocorreram, em 2015, 67 homicídios dolosos contra 53 este ano, uma redução de 20,90 %, em relação à 2015. Nas apreensões de armas, foram 75 armas apreendidas em 2015 e 114 em 2016, o que eleva em 52% o número de apreensões. Em 2015 foram contabilizadas 288 prisões em flagrante na regional de Caxias Já em 2016 foram presas 356 pessoas, um acréscimo de 23,61%. Em relação aos inquéritos policiais, 494 foram instaurados em 2015 e 567 em 2016, um gradativo aumento de 14,78%.

Na regional de Chapadinha também foi percebida a elevação nas apreensões de entorpecentes. Foram apreendidos 3.752kg de drogas de forma variada em 2015, sendo que em 2016 as apreensões de drogas somaram 8.608kg. No que tange às armas de fogo, 22 foram apreendidas em 2015 e 98 em 2016.

Na regional de Codó houve uma acentuada queda no número de crimes contra a vida. Em 2015 aconteceram 77 homicídios dolosos; em contrapartida foram registrados 69 homicídios dolosos em 2016, uma redução calculada em 11 %. Na mesma regional, em 2015, foram apreendidas 109 armas de fogo e 138 em 2016, um aumento de 17,8% nas apreensões.

231 pessoas presas por ataques a agências bancárias

A Polícia Civil do Maranhão, por meio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), em operação conjunta com a Polícia Militar, prendeu 10 indivíduos que se envolveram em assaltos a agências bancárias em determinados municípios maranhenses.

Após um trabalho rápido e eficiente, os suspeitos presos foram identificados por: Gledson Tavares de Sousa; Luís Soares do Nascimento, Daniel Gomes Baião, Marco Aurélio da Silva Milhomem, conhecido como ‘Lenda’; Benedito Clarindo Moreira Junior, conhecido como ‘Pestinha’; Ronalth Correia Coelho, conhecido como ‘Bebezão’; Ivan Pereira de Jesus, conhecido como ‘Nego Drama’; Fernando Morais Cordeiro; Romero Vieira Pacheco; e José Galdino da Silva. Com a quadrilha os policiais apreenderam um verdadeiro arsenal, incluindo fuzis automáticos, uma carabina de origem israelita e munições de diversos calibres.

O superintendente da SEIC, Tiago Bardal informou que a quadrilha é suspeita de participar dos ataques do dia 13 a uma agência do Banco do Brasil, na cidade de Fortaleza dos Nogueiras. O superintendente ressaltou, ainda, que a integração das ações do sistema de segurança pública permitiu um monitoramento que levou à prisão nada menos de 231 assaltantes de instituições financeiras no Estado do Maranhão.

Outras prisões por ataques a instituições financeiras

Operação integrada entre a Polícia Civil e Militar resultou na prisão de uma quadrilha com envolvimento no assalto ao banco do município de Jenipapo dos Vieiras-MA. O grupo foi identificado e preso nesta quarta-feira (09/12), 05 deles no município de Grajaú. Eles foram identificados como: Juracy Pereira, Vitória Regina Alves, Raimundo Francisco Nascimento Soares, Alex Maciel de Oliveira e Fábio Aires Nogueira, conhecido como “Cara de Onça”. Todos foram autuados em flagrante delito pelos crimes do artigo 155 e 288, e pelo artigo 14 e 16 da lei 10.826 de 2003.

As informações repassadas pelo Superintendente da Polícia Civil do Interior, Dicival Gonçalves dão conta de que a quadrilha teria participado do arrombamento a uma agência bancária do Bradesco, ocorrido no dia 07 de dezembro do ano corrente, no município de Jenipapo dos Vieiras e se evadiu em um veículo modelo Astra.

Com a quadrilha foram apreendidos 02 bananas de dinamite com cordel detonador; uma pistola PT de calibre 09 mm; 02 pistolas PT 938 de calibre 380, sem numeração; 04 carregadores de pistola; um rádio HT da marca Kenwood, 04 portas cédulas, R$ 330 reais em dinheiro, 09 munições calibres 380; 38 munições calibres 09 mm; uma mochila com roupas; uma caixa de ferramentas, um anel de cor amarelo e ainda um maçarico.

Mauro Wagner- Ascom/SSP