Secretário Jefferson Portela parabeniza as forças de segurança na operação do carnaval 2018

Fotos: Nilson Figueiredo

Por  Mauro Wagner /  Ascom – SSP

Durante a coletiva realizada na Secretaria de Segurança Pública (SSP), o secretário de Segurança Jefferson Portela parabenizou o sucesso das forças de segurança no período carnavalesco de 2018, ele destacou a importância do serviço integrado entre a segurança pública no período carnavalesco. Na oportunidade, não fora registrada nenhuma morte nos locais, onde aconteceram os circuitos carnavalescos.

A coletiva realizada nesta quinta-feira abordando o saldo positivo da operação, contou com diversas autoridades, os quais tiveram participação importante com um trabalho integrado, resultando em um saldo positivo, para a segurança pública no carnaval maranhense. A operação do carnaval visando uma redução na criminalidade, contou com uma grande operacionalização pelas forças de segurança do Maranhão.

O secretário Jefferson Portela ressaltou o empenho do Estado para o sucesso no carnaval maranhense e salientou também, na tendência na redução de mortes violentas no estado. “O governo apoia o Sistema de segurança e nós como profissionais, apostamos no nosso crescimento institucional e o transformamos em ações contra a criminalidade. O estado teve um controle na diversão carnavalesca e coibiu a violência, principalmente nos circuitos carnavalescos, onde não fora registrado nenhum crime de natureza violenta nestes locais. Nenhum homicídio nos dias que compreende a partir de 18hs, do dia 09; até 07hs, do dia 14 de fevereiro. Há já uma tendência de redução de homicídios por conta de um trabalho integrado entre as polícias do Maranhão”.

O secretário de segurança ponderou ainda, que “A margem de queda da tendência de crimes é clara e direta, comprovada por um número de 50%, comparado com o ano passado. Foram apreendidas neste ano, 80 armas de fogo em todo o estado do Maranhão. Notadamente há uma influência direta na taxa de redução de ações violentas, ou seja, desarmar os criminosos. Estas 80 armar certamente teriam uma influência negativa se estivesse nas mãos de marginais”, afirmou Jefferson Portela.

Policiamento integrado pela segurança pública

Em prol pela segurança no período carnavalesco, foi salutar a operação integrada pelas forças de segurança. Foi importante o trabalho integrado entre as polícias. A Polícia Civil disponibilizou de forma excepcional, o plano estratégico, onde contou com o funcionamento de cinco plantões da região metropolitana da capital, sendo eles o Plantão Central, localizado nas Cajazeiras, o plantão da região Itaqui-Bacanga, o plantão do bairro da Cidade Operária, o plantão do bairro do Maiobão, e o do bairro do Cohatrac. Fora ainda usado dois plantões extras, sendo estes na Raposa e outro na Cajazeiras, este último, dando suporte para o Plantão Central, para as ocorrências nos circuitos da Madre Deus, Passarela do Samba e da Praça Maria Aragão. Intensificado a segurança na região, esteve de prontidão, o Corpo de Bombeiros Militar, para as ocorrências envolvendo relevância de natureza específica, para o circuito carnavalesco.

Por meio da Polícia Militar estiveram envolvidos, a Academia de Policia Militar Gonçalves Dias (APMGD), onde contou com os Cadetes do 1º ao 4º ano, e alunos do Curso de Habilitação de Oficiais. Uma base para gerenciamento foi usada pelos policiais do Batalhão de Operações Especiais da PMMA (BOPE), direcionando todo policiamento nas ações estratégicas do policiamento ostensivo e preventivo nos circuitos carnavalescos. Presente ainda, o Batalhão de Polícia Rodoviária preparou uma serie de barreiras policiais com o intuito de impedir a ação de criminosos com o uso de veículos.

O Centro Tático Aéreo (CTA), esteve realizando policiamento aéreo; O Batalhão de Polícia do Choque estendeu suas ações com com 11 barreiras, 54 policiais, motocicletas do esquadrão águia, além dos 22 alunos do Curso Tático de Motopatrulhamento e ainda o Canil. Inclusos ainda na operação carnavalesca, o Batalhão Tiradentes e o Batalhão de Policiamento Turístico.

Sem registro de homicídios nos circuitos carnavalescos. Redução nos crimes violentos contra a vida

Dados repassados pela Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), relatou que 06 pessoas foram vitimadas, entre a sexta (09) e o sábado (10). Os crimes contra a vida não foram registrados nos circuitos carnavalescos. Os crimes violentos contra a vida ocorreram em fevereiro de 2017, constando: 09 homicídios, 01 feminicídio e nenhum latrocínio. Já em 2018, foram registrados, 06 homicídios, 01 feminicídio e 01 latrocínio, ocasionando em uma redução de 20%, em relação ao ano de 2017. Em comparação decrescente nos crimes contra a vida, o ano de 2014, foi registrado 910 mortes violentas contra a vida. Em 2015, perderam a vida 800 pessoas; no ano de 2016, foram mortas 693 pessoas; Já em 2017, perderam a vida, 540 pessoas, e em 2018, perderam a vida até esta data, 54 pessoas.

Assista o vídeo abaixo: