Polícia Militar desencadeia “Operação Batalhão Tiradentes”, que vem inibindo os constantes assaltos a coletivos.

A Polícia Militar vem desenvolvendo novas estratégias afim de, coibir a crescente demanda de assaltos em São Luís e demais áreas urbanas, de forma mais específica aos coletivos, dando ênfase a medidas firmes e sequenciais, tanto que desencadeou a operação denominada de “Batalhão Tiradentes.

Coordenando esta operação está o Comandante Geral da Polícia Militar, Cel. Pereira, que é extremamente operacional, e categoriza formas combatentes de interditar o crime na grande ilha. Seu trabalho tem se resumindo a ações emergenciais e dar respostas imediatas aos anseios das comunidades que sofrem com as grandes investidas criminosas. O coronel Marques Neto dispõe de uma equipe preparada e escolhida para dificultar as infrações e levar alento a população ludovicense, “Diariamente são escolhidos diversos pontos de abordagem ao mesmo tempo, basicamente onde circulam os ônibus, afim de, desestruturar o rol desses delitos”, completou o cel. Marques Neto.

A operação Batalhão Tiradentes dispõe de um aparato operacional constante nas ruas, em pontos onde há registros de maior incidência de crimes, como nos bairros do Cohatrac, Alemanha, Anjo da Guarda, Angelim, Monte Castelo, Vila Nova, dentre outros. São 50 policiais envolvidos nessas missões diariamente, todos com habilidades precisas e mente treinada para o propósito de promover ações positivas, além de 5 viaturas policiais e 3 motocicletas executando as abordagens que tem inibido os assaltos a transportes coletivos.

Nas primeiras horas da operação foi detido um suspeito dentro de um coletivo no bairro do Anjo da Guarda, de posse de uma arma de fogo. Ao ser abordado confessou que mais cedo já teria assaltado 3 ônibus, e que o conseguinte também seria alvo deste delito. A Operação Batalhão Tiradentes apreendeu mais de 30 armas brancas e vários tipos de substâncias similares a drogas, tais como o crack e a maconha. Várias pessoas suspeitas foram encaminhadas até a delegacia mais próxima para a devida averiguação.

Carolina Gomes/ASCOM SSP