Governo capacita 320 policiais para atender mulheres em situação de risco

O governo do Estado, através da Secretaria de Segurança Pública, com a coordenação Delegacia Especial da Mulher (DEM), elaborou projeto, encaminhado ao governo federal, de capacitação de 320 polícias do sistema de segurança para atender mulheres em situação de risco de violência.

Com a aprovação deste projeto, foi dado início na segunda-feira (29), à primeira etapa do curso, com participação de quarenta militares do Corpo de Bombeiros Militares do Maranhão.

A capacitação terá carga horária de duas semanas e tem como objetivo profissionalizar 320 integrantes do sistema de segurança pública — entre policiais civis, policiais militares e bombeiros militares — em São Luís e Imperatriz. “Serão proporcionadas aos agentes disciplinas específicas que tratam  dos direitos da mulher e da questão da legislação referente à mulher em situação de violência.

A Delegada Kazumi Tanaka, titular da DEM e gestora do projeto, disse que a SSP/MA conta com bons profissionais que irão ministrar esse curso com o objetivo de proporcionar à população do nosso estado melhorias na qualidade do atendimento à mulher que passa por algum tipo de violência. A delegada acrescentou que o curso de capacitação será oferecido de maneira regular.

20160302_164157
Delegada Kazumi Tanaka, Titular da DEM e gestora do curso

“Nesse curso, os nosso policiais serão melhor capacitados para atender as demandas das mulheres que necessitam de orientação e tratamento especial por parte do Estado, devolvendo a elas dignidade, segurança e dando-lhes a certeza que o Estado está ao seu lado pronto para protege-las”, afirmou.

“Pretendemos que esse curso seja proporcionado regularmente a todo o quadro do sistema de segurança pública, para que nós possamos, cada vez mais, proporcionar às mulheres e à população de uma maneira geral um atendimento de qualidade. Esse é o desejo do secretário de segurança pública, Jefferson Portela e do governador Flávio Dino: garantir às mulheres maranhenses, segurança e a proteção do estado”, finalizou.
Stenio Johnny
Ascom/SSP