Diretora do Instituto de Análise Forense (ILAF) fala do trabalho da perita criminal na Polícia Civil do Maranhão

A reportagem ASCOM SSP conversou com a diretora do Instituto Laboratorial de Análise Forense, Gislen Ribeiro,  oportunidade em que ela falou dos trabalhos  periciais realizados pela mulher  na Polícia Civil do Maranhão através da Superintendência de Polícia Técnico-Científica, que tem como superintendente o perito criminal Miguel Alves.

Do trabalho da Mulher na SPTC
A perita  explanou que  a mulher ocupa várias funções, de acordo com a sua especialidade, no que diz repeito as que trabalham na SPTC, que é um órgão que realiza os trabalhos periciais da Polícia Civil, a mulher ocupa espaço em todo os institutos ligados a essa superintendência.

“Hoje temos mulheres atuando como biólogas, farmacêuticas, químicas, engenheiras, físicas, peritas capacitadas prontas para desenvolverem as suas funções ao longo da sua carreira profissional, em diferenciadas áreas, tais como:  Área da genética, química e biologia forense, morte violenta, acidente de trânsito, balística, documentos copia, nessas e em outras áreas o trabalho realizado pela  mulher é de grande importância de acordo com sua formação e qualificação”. ressaltou a perita.

Disse que a mulher nas atividades que ela realiza dentro da Polícia Civil, tem uma característica diferenciada dos homens, por serem mais dedicadas e criteriosas, são profissionais de referência, tratando com seriedade, responsabilidade e respeito  todos os que necessitam do trabalho policial, as estatíscas comprovam que as mulheres peritas realizam os seus trabalhos com perfeição. A prova disso, temos várias gestoras na SPTC, a exemplo disso temos gestora no Instituto de Genética, Forense, no instituo Laboratorial de Análise Forense, assim como em outros setores da Polícia Civil do Maranhão. Enfatizou!
 
Sobre o ILAF
Segundo a  perita criminal Gislen Ribeiro, o Instituo de Análise Forense(ILAF)  foi criado em maio de 2015, é uma dissidência do instituto de criminalística, em virtude da grande demanda que chega a cinco mil denúncias por ano, houve uma necessidade da criação deste instituo, para melhorias estruturais, organizacionais, e fortalecimento nos trabalho periciais.
É de responsabilidade do Ilaf, todos os exames químicos, toxicológico, e biológicos do estado, produzimos em 2016, quatro mil setecentos e setenta e oito laudos, com uma equipe de 17 peritos, que trabalham em regime de plantão permanente, preocupados em realizar trabalhos periciais com qualidade e bom atendimento a comunidade. Concluiu.

 ASSISTA A ENTREVISTA AQUI:

 

 Por: Stenio Johnny RPJ/MA 0001541 -ASCOM SSP/MA
.