SSP apresentou grupo de suspeitos de pistolagem e agiotagem no Maranhão

(Foto: Stenio Johnny)

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), apresentou na terça-feira (20), o resultado da operação de combate ao crime de pistolagem durante o período eleitoral realizada na tarde de segunda (19), na cidade de Itaipava do Grajaú.

O resultado da operação, coordenada pela Regional de Barra do Corda com apoio da 5º Batalhão de Polícia Militar daquela regional, foi divulgado à imprensa durante entrevista realizada no Auditório Leofredo Ramos, Outeiro da Cruz, em São Luís, presidida pelo gestor da pasta, Jefferson Portela.

Na ocasião, foram presos durante ação policial Francisco Carlos Rocha, 25 anos; Jorge Luís da Rocha, 26 anos; Manoel da Luz Rocha Sousa, 31 anos e Carlos Roberto Pereira, 46 anos. Em poder deles foram apreendidas três pistolas calibre 380, um veículo modelo Hilux de placas do Piauí, além de cinco carregadores municiados.

Renilto Ferreira, delegado titular da Regional de Barra do Corda, detalhou que após denúncias de que quatro homens suspeitos estavam em uma caminhonete do Piauí circulando pela cidade de Itaipava de Grajáu, foi montado um cerco policial e, com eles, encontrados armamentos e munições.

658b2378-a391-46da-90ad-3e5e2127242a

9f1b0d75-52bc-47ed-93eb-2fdad0d0fd3b-1

Durante a oitiva o grupo que tem como líder Carlos Roberto Pereira, confessou que estava trabalhando para fazer a segurança do candidato a reeleição em Itaipava do Grajaú, o “Joãozinho”. Foi declarado ainda por Carlos que além de fazer a segurança do candidato à reeleição, o grupo estaria também na cidade para cobrar dívidas de agiotagem na região, dívidas essas ligadas ao financiamento ilegal de campanhas eleitorais. O grupo também confessou que o próprio Joãozinho teria uma dívida de R$ 200 mil com eles.

“É exatamente por conta desse período eleitoral que se aproxima, que o sistema de segurança representado pelas Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, tem se reunido com o Poder Judiciário, Polícia Federal e demais órgãos para que sejam garantidos os direitos do livre voto da sociedade maranhense. Deixamos aqui claro tanto para a sociedade, quanto para aqueles que estejam tentando delinquir o pleito eleitoral que não será permitida a compra de votos pelo sistema de Segurança Pública”, disse o delegado geral da Polícia Civil, Lawrence Melo.

Ainda foi repassado pelo titular da regional de Barra do Corda, durante a coletiva, que o líder do grupo tentou subornar os policiais alegando que já tinha valores acertados com o prefeito, uma quantia para supostamente pagar propina para que os policiais não atrapalhassem a atividade ilícita de pistolagem.  O grupo foi autuado pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e corrupção ativa.

 

KODAK Digital Still Camera
(Foto: Stenio Johnny)

O secretário Jefferson Portela informou que ações de combate à criminalidade serão intensificadas durante o período eleitoral. “Reafirmamos para a sociedade que o comando do Sistema de Segurança será forte no combate à criminalidade”, disse Jefferson Portela.

Estiveram presentes também durante a coletiva, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Frederico Pereira; o superintendente e adjunto de Polícia Civil do Interior, delegado Dicival Gonçalves e delegado Jalingson Freire, respectivamente.  

Por Clara Fonseca – ASCOM SSP

Imagens e Reportagens Stenio Johnny: