Polícia Civil prende 23 pessoas na operação Criança Segura, no interior do MA

Por Clara Fonseca e Mauro Wagner – ASCOM SSP

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) através da Superintendência de Policia Civil do Interior (SPCI) deflagrou, nesta terça-feira (11), a operação “Criança Segura”, nos 18 municípios do Maranhão. O objetivo das ações da Polícia Civil foi no combate de crimes de pedofilia e estupro de vulnerável; com cumprimentos de mandados de busca e apreensão domiciliar, além de mandados de prisão temporária e preventiva. Foram cumpridos pela Polícia Civil, 23 mandados nas regionais.

Na oportunidade, durante a operação “Criança Segura”, deflagrada nesta terça-feira resultou na prisão de 23 suspeitos. Na lista estão casos de estupro de vulnerável, violência doméstica e pensão alimentícia. Durante a operação também foram cumpridos mandados pelo crime de roubo qualificado. Esta etapa foi realizada com incursões em mais de 50 municípios, onde bares e boates foram fiscalizados na tentativa de coibir atos atentatórios à dignidade da criança e do adolescente.

As ações envolveram delegados, investigadores e escrivães, que em comprometimento se despuseram em defesa das crianças vítimas de pedofilia, disse o superintendente de Policia Civil do Interior, Dicival Gonçalves. O superintendente disse ainda, que “A operação foi planejada pela Superintendência de Polícia Civil do Interior, conjuntamente com as 18 delegacias regionais do interior do Estado do Maranhão, onde os policiais participaram desta operação, sendo deflagrada no dia 11 de outubro e encerrada no fim da tarde do dia 12 de outubro. Foram expedidos 23 cumprimentos de mandados de prisões e auto de prisão em flagrante, entre eles pelos crimes de estupro de vulnerável e pensão alimentícia”.

Cumprimentos de mandados de prisões

Valdimir Sousa (Preso em Rosário)
Valdimir Sousa (Preso em Rosário)

No município de Rosário foi preso Valdimir Sousa, pelo cumprimento de mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável. As informações dão conta que ele teria estuprado duas crianças, de 09 e 11 anos. Já em Bacabeira, foi preso outro suspeito, ainda sem a devida identificação, que foi preso em flagrante delito, também pelo crime de estupro de vulnerável.

Em Pinheiro, foi preso o suspeito Geovane Silva, pelo crime de estupro de vulnerável. Neste caso, o suspeito abusava a sobrinha de 11 anos. Na regional de Imperatriz foi preso o suspeito Hudson Hey Gomes, pelo crime de estupro de vulnerável. Sua prisão se deu por conta da Comarca de Axixá do Tocantins-TO.

Hudson Santos (Preso em Imperatriz)
Hudson Santos (Preso em Imperatriz)
Antônio da Silva (preso em Caxias)
Antônio da Silva (preso em Caxias)
Raimundo Albuquerque (preso em Caxias)
Raimundo Albuquerque (preso em Caxias)

Em Caxias, aconteceram 02 prisões por estupro de vulnerável, os quais foram identificados por Antônio Marques da Silva, 39 anos e Raimundo José Albuquerque da Silva, 49 anos. Foram presas ainda, outras 02 pessoas, pelos crimes de roubo qualificado e violência doméstica; e outros 06 pelo crime de Pensão Alimentícia.

Além destes, foram presos na Regional de Codó, Edivan Ferreira Leal, pelo crime de homicídio, contra um adolescente de 15 anos. Outra prisão se deu na Regional de Santa Inês, por conta da Comarca de Maracaçumé; onde foi preso Aluisio Gatinho Tavares, 45 anos, pelo crime de homicídio qualificado.

Tiago dos Santos (preso em Zé Doca)
Tiago dos Santos (preso em Zé Doca)
Gracilda da Luz (presa em Zé Doca)
Gracilda da Luz (presa em Zé Doca)

Já em São João dos Patos, foram presas 07 pessoas, que resultou no cumprimento de 07 mandados de prisão por Pensão Alimentícia, nas cidades de Sucupira do Riachão, Paraibano e São João dos Patos. Outras prisões aconteceram na Regional de Zé Doca, onde no dia 12/10/2016, foram presos em cumprimento ao mandado de prisão preventiva expedido pelo juiz da comarca de Candido Mendes, os suspeitos Gracilda Miranda da Luz e Tiago Amorim dos Santos, pela pratica do crime de estupro de vulnerável. A suspeita Gracilda já vinha sendo investigada por ter entregado, a sua filha de 11 anos, ao Thiago dos Santos, e este passou a ter   relações sexuais  com a menor.

Todos os suspeitos presos, na operação “Criança Segura” responderão na Justiça contra os crimes praticados.