“ Indigno de permanecer em nosso meio” disse Jefferson Portela sobre a prisão de PM envolvido com assalto a transportadora de valores

Na tarde desta quarta-feira (7), a secretária de segurança pública ofereceu uma coletiva de imprensa para explanar os resultados de uma ação integrada entre a Polícia Civil e Militar do Maranhão que resultou na desarticulação de uma quadrilha interestadual especializada em assaltar empresas transportes de valores nos estados do Maranhão e Pará.

Na operação que foi realizada em duas etapas, na primeira fase, a Polícia Civil por meio da Regional de Santa Inês, com a apoio da Polícia Militar   conseguiram prender na madrugada da última segunda-feira (5) na cidade de Bela Vista do Maranhão, Heverton Pereira Pacheco, Marcos José de Sousa e Mailton Pereira Pacheco, sendo este policial militar lotado na cidade de Imperatriz.

Com a quadrilha foram apreendidos um vasto arsenal de guerra, sendo quatro fuzis AR/M4 5.56, duas pistolas 9mm, uma submetralhadora UZI, de fabricação israelense, uma pistola 380, um revólver calibre 38 e uma vasta munição, que de acordo com as investigações seriam utilizadas para assaltar a empresa PROSEGUR na região tocantina.

De acordo com as informações repassadas pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) Tiago Bardal, a quadrilha já estava sendo investigada desde de 2016, sendo acusada de cometer vários crimes, entre assaltos e homicídios. Ainda de acordo com Bardal a base da quadrilha estava na cidade de Imperatriz, mas especificamente em um condomínio de alto padrão, endereço esse onde foram localizados os demais armamentos da quadrilha na noite da última terça-feira (6).

Nesta segunda fase da operação, foram apreendidos um fuzil   FAL 7.62mm, um fuzil AK-47 7.62MM, vinte carregadores 5.56mm, três balas clavas e aproximadamente 2.500 munições. Segundo levantamentos feitos pelas autoridades policiais, estimasse que todo o armamento apreendido em grande parte de origem americana, esteja avaliado em aproximadamente em 1 milhão de reais.

A coletiva contou com a presença do Secretário de Segurança Pública Jefferson Portela, o Comandante Geral da Policia Militar coronel Frederico Pereira, do delegado assistente da Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI) Agnaldo Timóteo, e os delegados do Departamento de Combate a Roubo à Instituições Financeiras (DECRIF) Luís Jorge e Vitor Machado.

O Secretário Jefferson Portela iniciou seu pronunciamento repreendendo as ações das organizações criminosas que tentam se espalhar pelo Maranhão, e repudiou qualquer participação de policias nessas quadrilhas, mencionando o caso do PM Mailton Pereira Pacheco. “ Ele é indigno de permanecer em nosso meio, não cumpriu nem com sua honra. Não iremos tolerar tais atitudes que vão na contramão do juramento feito pelo profissional da segurança pública” disse firmemente Portela.

Por fim o Comandante Geral da PM, Coronel Pereira disse que com essa apreensão, foi gerado um grande prejuízo para as organizações criminosas.  Quando questionado pela participação do PM, Pereira foi enfático em dizer: “ Me sinto aliviado em retirar um “Falso PM” de nossa corporação”. As investigações devem continuar no intuito de localizar os demais integrantes da quadrilha.

Anselmo Oliveira – ASCOM/SSP