Delegada Especial da Mulher, fala da sua participação na EXPOSEGMA, e das ações DEM em São Luís

A Delegada Especial da Mulher (Kazumi Tanaka), participará na sexta-feira(11), da Exposição de Segurança do Maranhão(EXPOSEGMA), realizando palestra alusiva ao dia internacional da mulher abordando temas importantes dos Direitos da Mulher, Seu Papel na Sociedade, Lei Maria da Penha, seu reflexo na vida da mulher que vive em situação de violência, e o Papel  do Estado na proteção, segurança, e garantia dos direitos da mulher na sociedade.

Sobre a EXPOSEGMA, Disse que é um evento importante, para o Maranhão, pois divulga o trabalho das forças de segurança do Estado, levando aos maranhenses a oportunidade de conhecer as ações das forças de segurança que  atuam na capital e no interior.

Destacou a participação da DEM através de palestras sobre os mais variados assuntos relacionados a mulher, orientado-as, mostrando a elas os seus direitos, e como devem procederem quando se encontrarem em situação de qualquer tipo de violência, física ou psicológica.

Kazumi Tanaka falou que a participação da Delegacia Especial da Mulher na EXPOSEGMA será de extrema importância para mostrar a sociedade maranhense, como a Polícia Civil do Maranhão através da DEM, tem atuado no combate a violência contra a mulher maranhense.

Do Curso de Capacitação de Servidores da Segurança Pública para Atendimento de Mulheres em Situação de Violência.

A delegada salientou que o governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Segurança Pública, com a coordenação da Delegacia Especial da Mulher (DEM), elaborou projeto encaminhado ao governo federal, para capacitação de 320 polícias do sistema de segurança para atender mulheres em situação de risco de violência. Com a aprovação deste projeto, foi dado início na segunda-feira (29), à primeira etapa do curso, com participação de quarenta militares do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão.

A capacitação terá carga horária de duas semanas e tem como objetivo profissionalizar 320 integrantes do sistema de segurança pública — entre policiais civis, policiais militares e bombeiros militares — em São Luís e Imperatriz. “Serão proporcionadas aos agentes disciplinas específicas que tratam  dos direitos da mulher e da questão da legislação referente à mulher em situação de violência, que a primeira turma formada por militares do Corpo de Bombeiros, irá concluir o curso na tarde desta terça-feira(08)

Disse que a SSP/MA conta com bons profissionais que irão ministrar esse curso com o objetivo de proporcionar à população do nosso estado melhorias na qualidade do atendimento à mulher que passa por algum tipo de violência. A delegada acrescentou ainda, que o curso de capacitação será oferecido de maneira regular.

“Nesse curso, os nosso policiais serão melhor capacitados para atender as demandas das mulheres que necessitam de orientação e tratamento especial por parte do Estado, devolvendo a elas dignidade, segurança e dando-lhes a certeza que o Estado está ao seu lado pronto para protege-las”. Afirmou a delegada.

“Pretendemos que esse curso seja proporcionado regularmente a todo o quadro do sistema de segurança pública, para que nós possamos cada vez mais, proporcionar às mulheres e à população de uma maneira geral, um atendimento de qualidade. Esse é o desejo do secretário de segurança pública, Jefferson Portela e do governador Flávio Dino: garantir às mulheres maranhenses, segurança e a proteção do estado”. Finalizou.

Do trabalho da DEM em São Luís100_4241

A titular da DEM destacou a intensificação das políticas públicas realizadas no Maranhão pelo governo do estado em parceria com o governo federal que contribuem para a diminuição do índice da violência doméstica na capital e no interior maranhense e ao mesmo tempo vem recuperando a dignidade da mulher, valorizando a sua vida reconhecendo o papel que ele ocupa não só em seu lar, mas também no seu trabalho e a sua atuação dentro da sociedade.

Sobre A lei Maria da Penha

Dra. Kazumi falou que, não vai ser apenas a lei Maria da Penha que vai transformar essa realidade, essa lei na verdade veio dar um impulso nas políticas políticas públicas de enfrentamento a violência contra a mulher especificamente a violência  doméstica familiar.

Segundo a delegada da mulher, o que pode reverter este quadro além das políticas públicas é o fortalecimento do direito da mulher, com o fim da discriminação, da desigualdade entre homem e mulher, acabar com essa cultura machista  que ensina meninos e meninas, homens e mulheres a transformar um relacionamento amoroso em uma relação de poder, quando na verdade deveria ser uma relação de amizade. Portanto é necessário o fortalecimento das políticas públicas de enfrentamento a violência contra a mulher, e que esse fortalecimento possa ser feito com segurança, saúde, educação, trabalho e renda, através da inserção da mulher no mercado de trabalho.

Para a Dra. Tanaka, depois da Lei Maria  da penha, já se pode observar algumas mudanças, de comportamento das mulheres em relação as agressões sofridas por companheiros, onde mulheres diante dessa situação, procuram a delegacia da mulher, para registrar ocorrências, pedir orientações, para saber mais sobre seus direitos. Para este tipo, a DEM não atua só, a delegacia da mulher conta com apoio dos órgãos parceiros como: Defensoria Pública, MP, Secretaria de Estado da Mulher, Judiciário maranhense dentre outro órgãos públicos, que trabalham em com junto, no combate a violência contra a mulher. Enfatizou!

A titular da DEM destacou a intensificação das políticas públicas realizadas no Maranhão pelo governo do estado em parceria com o governo federal que contribuem para a diminuição do índice da violência doméstica na capital e no interior maranhense e ao mesmo tempo vem recuperando a dignidade da mulher, valorizando a sua vida reconhecendo o papel que ele ocupa não só em seu lar, mas também no seu trabalho e a sua atuação dentro da sociedade.

A intensificação das ações que  Estado vem realizando em prol da mulher maranhense, contribui para que as pessoas mudem as suas relações, e o seu comportamento para a partir daí, fazer prevalecer o respeito e o direito da igualdade entre o homem e a mulher. todas essas medidas aliadas ao comprometimento do governo em dar garantias a mulher do seu direito. E o estado presente,  pronto pra defendê-la Concluiu!

Atuação da DEM nos bairros

Além do trabalho desempenhado na Delegacia da Mulher, atividades preventivas também são desempenhadas em bairros e cidades maranhenses, a fim de fomentar as políticas de enfrentamento aos crimes de violência. Nosso trabalho é diferenciado, a gente foca não só no trabalho investigativo e repressivo, mas também no preventivo, indo até as escolas de bairros mais carentes ou de bairros em que a condição financeira é maior; empresas; universidades; associações; espaços que somos chamados para proferir palestras ou participar de diálogos com os movimentos femininos. Com essas discussões, pretendemos atender as demandas que as mulheres nos apresentam. E eu falo mulheres em todas as suas diversidades. As mulheres lésbicas, as mulheres com deficiência, as mulheres negras, as mulheres do campo, as mulheres dos sindicatos. Todas essas mulheres precisam ser visibilizadas”, Pontuou Kazumi.

Da diminuição do índicie de violência contra a mulherem São Luís

A delegada especial da mulher em São Luís Kazumi  Tanaka falou que houve uma diminuição no índice da  violência doméstica em relação ao ano passado, que nesse mesmo período em 2015, foram registradas 415 ocorrências, sendo que este ano o número de registros de ocorrências caiu para 344 ocorrências, algo significativo que deve ser trabalhado e melhorado através de políticas públicas para as mulheres  que estão sendo desenvolvidas pelo governo do estado com objetivo de diminuir de maneira considerável, o índice de crimes  praticados contra a mulher, sobre tudo por conta de uma cultura machista.

Orientação em casos de violência

Segundo a delegada, as mulheres vítimas de violência doméstica não podem permitir que as agressões se tornem rotina em suas vidas. “Os primeiros sinais de violência, principalmente psicológicos [os mais comuns], devem ser observados e reprimidos. De que maneira? Colocando um freio naquele comportamento agressivo a ela, solicitando providências juntamente aos órgão competentes ou findando aquele relacionamento. O fato é que ela tem que procurar ajuda se necessário. Não pode esperar que algo pior aconteça.  Quanto mais tempo ela demora pra tomar uma atitude, pior. Porque ela perde as forças, as relações de amizade, uma mão amiga que estende e que pode ajudá-la a sair daquela relação”. Em uma situação de maior urgência, a vítima ou testemunha de uma agressão pode ligar para o 190 ou para o Disque-Denúncia através do 3223-5800.

Finalizou fazendo uma saudação especial a todas as mulheres maranhenses, pela passagem do dia internacional da mulher, principalmente as que vivem em estado de risco de violência, pedindo que  elas se intimidem, ao perceber que estão perdendo espaço em seu próprio lar, quando se sentirem de alguma forma ameaçadas, e essas ameaças passarem a ser fato concreto de violência contra a sua pessoa, que procurem os mecanismos do estado de defesa da mulher, que elas denunciem, e em situações emergências, elas podem ligar para o 190, ou para as viaturas que rondam os bairros, acionar o Ministério Público, Defensoria Pública, Delegacia da Especial da Mulher, acionar a justiça para que o seu agressor possa ser punido dentro da lei. O que não pode acontecer é a mulher se calar ficando omissa a uma situação muita das vezes de risco por temer as ameaças do seu agressor. É preciso que a mulher se vista de coragem e acredite na força de segurança do estado, acredite  na lei Maria da Penha, e não se deixe ser dominada pelo seu agressor.

Dra Kazumi Tanaka parabenizou as mulheres pelo seu dia deixando um forte abraço a todas, e ao mesmo tempo transmitindo a certeza que  a mulher tem os seus direitos assegurados pelo Estado.

Da programação da DEM para o dia Internacional da Mulher

29/02 a 09/03 – Capacitação dos Servidores do Sistema de Segurança Pública para o atendimento à mulher em situação de violência – no auditório do FUNDUTRA, Jardim de Fátima 

06/03, às 9h – Participação na corrida Rosa Shok, na avenida Litorânea

08/03, às 8h – palestra na sede dos Correios , na praça João Lisboa, sobre direitos da mulher

08:03, às 08:30h – Participação na assinatura do decreto de instalação do GTI do feminicídio, no palácio dos Leões

08:03, às 11h – Participação na sessão especial na Assembleia Legislativa sobre os Marcos legais de enfrentamento à violência contra a mulher

08:03, às 14:30h – Palestra na CEMP, rua Rio Branco, Centro

08/03, às 19h – Participação em seminário promovido pela AMMA, em parceria com a ADPEMA, sobre igualdade de gênero no trabalho 

09/03, às 08h – Palestra na loja Potiguar da Forquilha

10/03, às 10h – Participação em painel sobre enfrentamento de todas as formas de violência contra as cidadãs , na Câmara Municipal de São Luís 

11/03, às 08h – Palestra na loja Potiguar da Cohama

11/03, das 08h às 18h – Participação na EXPOSEGMA, a ser realizada na praça Nauro Machado, Centro

11/03, às 14:30h – Palestra no Convento das Mercês, sobre direitos da mulher e violência de gênero.  Dias 17/03 e 18/03, a partir das 08h – seminário formativo sobre Marcos Legais e rede de enfrentamento à violência contra a mulher, no auditório da SEMCAS, no Anel viário