CATE e COSAR, somando-se as forças de segurança para inibir ataques contra as agências bancárias

Objetivando estreitar as ações de combate aos crimes contra as instituições financeiras nas regiões fronteiriças do Maranhão e capacitar os policiais em ações de salvamento e desarmamento de artefatos explosivos, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP) enviou para o Estado de Pernambuco, o grupo do CATE, onde participaram de dois estágios, um no BOPE-PE, e o outro no BEPI-PE (CIOSAC). Anteriormente, a SSP já havia encaminhado a equipe do COSAR, para Marabá-PA, por meio da 23ª Brigada de Infantaria de Selva.

As equipes do Curso de Ações Táticas Especiais (CATE) e do Comando de Operações de Sobrevivência em Áreas Rurais (Cosar), ambas preparadas para uma pronta resposta às ocorrências que exijam conhecimento necessário para ações táticas especiais e de sobrevivência em áreas rurais. As duas equipes receberam nos últimos dias, uma capacitação no Estado de Pernambuco e Pará, visando uma qualificação maior, para inibir as ações criminosas de forma ampla, em favor do cidadão de bem. O COSAR e o CATE diferem na sua área de atuação, mas convergem no preparo técnico e psicológico, à disposição das forças de segurança. As ações por conta de uma diminuição constante contra os ataques às agências bancárias nos municípios maranhenses, contaram com a participação direta das equipes do COSAR e do CATE, além das suas coirmãs que realizam a segurança pública no Maranhão.

Ações e atribuições do COSAR

Dando continuidade no projeto de combate aos criminosos, no intento de realizarem ataques contra as instituições financeiras, o governador Flávio Dino, e o secretário de segurança pública Jefferson Portela autorizaram ações voltadas para uma redução maior contra os ataques ás agências bancárias no MA; ações estas que tem surtido um efeito em grande proporção. Uma destas ações foi o envio da equipe do COSAR para o município de MARABÁ-PA, onde foram recebidos pela 23ª Brigada de Infantaria da Selva. Durante a visita na Brigada de Infantaria, foram recebidos pelo General Eugênio Pacelli, onde destacaram a importância e fortalecimento para as fronteiras, no combate às ações das quadrilhas, os quais realizam ataques contra agências bancárias na região dos dois Estados.

A equipe do COSAR tem recebido uma qualificação específica para preparar os policiais para um ambiente de selva e ou que exijam dificuldades e resistência. O COSAR conta com a experiência do treinamento em selva para ações nas fronteiras dos estados circunvizinhos maranhenses, coibindo assim, as ações criminosas contra ataques às instituições financeiras e fortalecendo as barreiras nas fronteiras.

Os policiais que fazem parte das equipes do COSAR são selecionados entre oficiais e praças da corporação, os quais recebem um treinamento específico por cerca de 40 dias para o combate na selva. A equipe do COSAR atua no interior do estado, realizando patrulhamento dentro da área de atuação de cada equipe.

Ações e Atribuições do CATE

A equipe do CATE objetiva uma qualificação, no sentido de receberem ações táticas especiais. O grupo recebeu instruções em um módulo que envolveu artefatos explosivos e demais conhecimentos táticos, para o bom desempenho da profissão contra as ações de crime, principalmente explosões a caixas eletrônicos. Este estágio fora realizado em Recife-PE, no Batalhão de Operações Especiais (BOPE). O outro estágio aconteceu no município de Custódia-PE, onde envolveu uma adaptação à caatinga no sertão pernambucano. O estágio aconteceu com o monitoramento do Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI – CIOSAC), localizado em Custódia- Pernambuco.

O comandante do CPE, e diretor do curso do CATE, o Ten.Cel. Sodré, informou que “A equipe do Curso do CATE em Pernambuco, recebeu o estágio de Ações Antibombas, em Recife-PE, no Batalhão de Operações Especiais (BOPE-CIOSAC). Depois a equipe se dirigiu para o município de Custódia-PE, onde participou do estágio de adaptação à caatinga. Os alunos do CATE receberam anteriormente em São Luís, treinamentos para o pronto enfrentamento de situações de risco e alta complexidade: Atividades de resgate de reféns, Controle de rebeliões em estabelecimentos prisionais e atividades de alto risco em zonas urbanas, rurais e de selva”, ponderou. O diretor do curso destacou ainda, que, além destas instruções, os alunos receberam instruções de tiro de precisão; ocorrências com explosivos e demais conhecimentos táticos.

Na oportunidade, as duas equipes do CATE e COSAR participaram pela primeira vez em um curso envolvendo policiais da Polícia Militar do Maranhão e da Polícia Militar de Pernambuco, logrando assim, êxito entre as duas instituições. Fora destacado ainda a participação de um Agente Penitenciário, o qual participara com sucesso, demonstrando assim, a integração entre as forças de segurança.

 

 

 

Mauro Wagner- ASCOM/SSP                                                                                          Fotos: SSP