Polícia do Maranhão prende 05 faccionados por envolvimento em homicídio e diversos crimes no Condomínio Eco Tajaçuaba, na Santa Bárbara

SSP-Ascom

Ações voltadas contra a criminalidade por meio da Polícia Civil e a Polícia Militar resultou nas primeiras horas desta terça-feira (17), na prisão de um grupo de criminosos partícipes de uma facção criminosa, suspeita do cometimento do crime contra a vida de Washington Luís Sousa Martins Santos, 23 anos. O crime fora praticado no dia 09/10/2019, com disparos de arma de fogo e golpes de faca, no condomínio Eco Tajaçoaba, no bairro da Santa Bárbara. Os criminosos são suspeitos de executarem uma vítima, após o condenarem em um julgamento criminoso. A Polícia Civil investiga a participação deles em outras mortes na região.

As informações repassadas pelo delegado chefe da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) foram que a Polícia Civil do Estado do Maranhão deflagrou a “OPERAÇÃO RAIZ”, para investigar um grupo de criminosos envolvidosna morte de uma vítima no condomínio Tajaçuaba, no bairro da Santa Bárbara e bairros vizinhos. A ação iniciou nas primeiras horas desta terça-feira (17), culminando na prisão do bando. Foram cumpridos 06 Mandados de Busca e Apreensão e 06 Mandados de Prisão Temporária, dentre eles, presos 05 criminosos.

As equipes policiais da Polícia Civil e Militar trabalhando de forma integrada, tiveram sucesso na prisão de 05 (cinco) Mandados de Prisão Temporária (30 dias) em desfavor dos criminosos: Leandro Silva Natanael, o Casquinha; Vitor Rodrigues Sousa; Wagner Dias, o fiel ou Rafael; Natanael Gonçalves Cardoso e Walyson de Jesus Silva, o Marcinho. Eles são suspeitos do homicídio e de integrar uma organização criminosa com atuação na capital. A vítima do homicídio investigado pela Delegacia de Homicídio, Área Leste foi Washington Luís Sousa Martins Santos, 23 anos. Ele foi assassinado no dia 09/10/2019, com disparos de arma de fogo e golpes de faca, no condomínio Eco Tajaçoaba.

De acordo com as investigações, o motivo do crime teria sido, por conta que os faccionados resolveram “disciplinar” a vítima, por tê-lo confundido com um criminoso. Toda a ação criminosa aconteceu em um “tribunal do crime”, onde os bandidos participaram e condenaram a vítima à morte. O grupo é suspeito de outros homicídios e delitos, tais como, extorsão de moradores e expulsão de proprietários de imóveis da região para acomodar pessoas de sua convivência. Os presos foram conduzidos para a Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), para formalização de interrogatórios e posterior envio para o sistema penitenciário.

O acusado Wagner Dias, o fiel ou Rafael, está sendo autuado em flagrante por ter apresentado documentos falso. A Execução dos Mandados de prisões fora coordenada pela Delegacia Geral Adjunta Operacional de Polícia Civil e Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoas e contou com apoio operação de SEIC, SPCI (GPE), CTA e Polícia Militar. Os levantamentos foram realizados pela Secretaria Adjunta de Inteligências e Assuntos Estratégicos, SHPP e Grupo de Serviço Avançado da Polícia Militar do Estado do Maranhão. Na mesma ocasião, a SEIC realizou uma operação concorrente para identificar e prender os formadores da ORCRIM, bem como, identificar os ocupantes ilegais dos imóveis que se beneficiaram da atuação dos criminosos.