Polícia Civil prende trio suspeito de matar brutalmente um homem no Maracanã

Foto: Nilson Figueiredo

 

Por Carolina Gomes / Ascom – SSP

A Polícia Civil, apresentou na tarde desta terça-feira (24), o balanço de uma ação coordenada pelo 12º Distrito Policial, onde cumpriu mandado de busca e apreensão além de, prisão preventiva em desfavor de Sidney Maramaldo Amorim; José Raimundo Maramaldo e de Jefferson Azevedo Vieira, o “Gegê”, este já preso no Sistema Penitenciário de Pedrinhas, por tráfico de drogas e associação para o tráfico.   Na operação foi preso ainda em flagrante delito Darlison Sousa dos Santos.

 

Investigações minuciosas levaram a equipe de policiais até o trio, com apoio do Poder Judiciário que optou pela determinação de ordens judiciais em desfavor dos suspeitos, no bairro Vila Nova República, no Maracanã.

 

O inquérito teve origem depois da morte de Wildson Baldez, mais conhecido como “Billidow”, morto no dia 17 de outubro no ano passado, na Vila Nova República e o corpo encontrado na Vila Guará. Billidow foi torturado e em seguida teve seus braços e cabeça removidos do corpo.

 

Com a apuração foi constatado que Wildson Baldez era membro de uma facção criminosa e teria resolvido sair dela e pertencer a uma outra facção rival. Baseado nisso Jefferson Azevedo, que é um dos líderes de uma facção criminosa no bairro do Itapera deu ordem para que outros líderes da mesma facção mais residente na Vila Nova República, localiza-se e sequestra-se Bilidow para que fosse submetido a um tribunal do crime. Em sequência foi torturado e morto a mando de Jefferson que está preso na Penitenciária de Pedrinhas desde o ano passo por porte ilegal de arma de fogo.

 

A equipe conseguiu ainda identificar os líderes da Vila Nova República os irmãos Sidney Maramaldo Amorim e José Raimundo Maramaldo, que possuem diversos endereços no Maracanã além de, já possuírem cinco passagens pelo sistema prisional cada um. Com base nisso foi representado os mandados de busca e apreensão e prisão preventiva no Poder Judiciário.

 

Durante o cumprimento da ordem, Darlison dos Santos foi preso por portar drogas encontradas dentro de sua boca, ao adentrar sua residência foi achado mais papelotes de drogas e uma caderneta com anotações criminosas listadas com nomes de indivíduos pertencentes a facção criminosa. Nas anotações aparecem os nomes de Sidney e José Maramaldo como chefes da organização. Darlison estava na condição de disciplinador.

 

A operação contou com participação da Seccional Sul; a delegacia de Roubos e Furtos de Veículos – DRFV; a Delegacia de Roubos e Furtos – DRF; a Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico – SENARC e o 12º Distrito de Policial.