POLÍCIA CIVIL, POR MEIO DA DELEGACIA DE BARRA DO CORDA, PRENDE SUSPEITO DO HOMICÍDIO DO EX PREFEITO NENZINHO

A Polícia Civil, por intermédio da delegacia de Barra do Corda, no comando do Delegado Regional Renilton Ferreira junto à Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), prenderam na manhã desta sexta-feira (08), o acusado Mariano Júnior pelo crime de homicídio do seu próprio pai, o ex prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano da Sousa, o ‘Nenzinho’.
O suspeito foi preso por volta das 5h30 da residência do indivíduo conhecido como Antônio Filho, que também foi preso sob a acusação de esconder o suspeito. Até o momento tudo leva a crer na participação de Junior no crime, pois em seus depoimentos contou histórias contraditórias, que fogem até da realidade policial de crimes de pistolagem.
Em um trecho de seu depoimento contou que estaria com o pai baleado dentro do automóvel, e que seguiu para a casa de um amigo só depois levou seu pai para um hospital.
 “Logo chegamos a uma conclusão de que não existe nenhuma lógica de uma pessoa com seu pai baleado procurar um amigo advogado, mais sim em procurar uma pessoa da área da saúde ou um hospital. Principalmente porque seu pai estava sangrando, sangue é vida”, afirma o Delegado Renilton Ferreira.
Em um outro momento foi perguntado acerca dos disparos, o mesmo disse que não viu ninguém nem vulto e nem ouviu nenhum barulho de motor de moto ou carro.
 “É normal que o cidadão na hora do nervosismo não consiga descrever o modelo, marca, cor do carro ou moto, e se estava à pé, características do indivíduo; Entretanto, o quê chamou a atenção foi o fato de dizer que não viu nada”, conclui o Advogado Regional
Por fim, tudo indicaria que o disparo tinha sido de longe, mas um tiro preciso como aquele não poderia ser dado à longa distância. Após analisado o cadáver, foi constatado e depois confirmado pela perícia que o tiro foi à queima roupa e não um disparo à longa distância, cerca de 15cm de distância.
Até o momento estão presos, Francisco David Correa de Freitas conhecido como “David”,  suspeito de participar da ocultação de provas, ele é quem leva a caminhonete para o lava-jato e solicita a lavagem completa inclusive com a retirada dos bancos; também está preso Lusivan Rodrigues da Conceição Nunes “Luizão”, que é o vaqueiro do senhor Nenzinho que trabalhava na fazenda situada no povoado Narú, essa fazenda segundo informações seria de onde Junior estaria desviando gado, furtando de seu próprio pai, o Senhor Nenzinho.
Estavam na apresentação o Secretário de Segurança Pública do Maranhão,  Jefferson Portela;  Delegado Geral,Leonardo Diniz; Superintendente de Polícia Civil do Interior, Dicival Gonçalves; Lúcio Reis, chefe do Departamento de Homicídios da Capital; Superintendente de Polícia Técnico-Científica Miguel Alves; Coronel Luongo; policiais civis e militares.