Equipe Raio Bravo do 9 °BPM tira de circulação 03 armas de fogo em menos de 15 dias

A Policia Militar por meio da equipe Raio Bravo do 9°BPM vem combatendo ações criminosas, objetivando inibir crimes violentos na região metropolitana de São Luís.

A Ronda de Ação Intensiva e Ostensiva está atuando arduamente em prisões e apreensões durante patrulhamentos intensificando ações de segurança nas suas áreas de atuação.

As abordagens e revistas feitas pela equipe são no intuito de combater tráfico de entorpecentes, assaltos a ônibus, porte ilegal de armas e etc.

Durante os dias 11, 14 e 20 deste mês, a equipe retirou de circulação seis suspeitos por porte ilegal de arma de fogo, dentre eles está Igor Rodrigo Santos de Sousa, 26 anos, Victor Matheus Lima da Rocha, 19 anos, Fábio Nascimento Pereira, 40 anos, Johnny Herbeth Cruz Santos, 18 anos, Arleson Carvalho de Souza, 23 anos, Johne de Jesus Brandão dos Reis, 25 anos. Além de ter apreendido três armas de fogo nos bairros: Bom Milagre, Barreto e Bairro de Fátima e vários celulares.

 

 

A última prisão foi na noite desta segunda-feira (20), por volta das 23:40hs, quando a equipe RAIO Bravo realizava rondas, quando avistou dois elementos em atitude suspeita e ao realizar busca pessoal nos mesmos foi encontrado com Arleson Carvalho de Sousa, 23 anos, o revólver calibre 32 com 5 munições e com Johne de Jesus Brandão dos Rei, 25 anos uma faca e 5 trouxas de maconha. Diante do exposto foi dada a voz de prisão e conduziram os indivíduos para o plantão da Vila Embratel sem lesões corporais.


MATERIAL APREENDIDO:

01- Revolver calibre 32 N°DH84153 com 05 (cinco) munições intactas.

01 – Faca.

01 – Cordão dourado.

01 – Celular Samsung vermelho

01 – Celular Motorola preto com azul

05 – Trouxas de substância semelhante à maconha

Segundo o tenente Coronel Honório Filho, o resultado obtido pelos policiais do 9º BPM é fruto de constantes ações de combate ao crime e a violência, desenvolvidas por meio de operações planejadas, executadas após análises dos dados estatísticos e mapeamento de zonas de maiores índices de criminalidade.

Por Rose Silva – ASCOM SSP