CÚPULA DE SEGURANÇA PÚBLICA PARTICIPA DE HOMENAGEM A POLICIAIS DO ESTADO DO MARANHÃO

Jefferson Portela junto a toda cúpula de segurança pública, participaram na manhã desta segunda-feira (26), no Palácio dos Leões, da homenagem aos policiais maranhenses que mais tiraram de circulação armas de fogo, usadas a favor do crime em todo o estado. A premiação é referente aos registros durante todo o ano 2017, quando as forças de segurança apreenderam 1.762 mil armas de fogo. O reconhecimento, mais uma iniciativa da gestão Flávio Dino, é dado como forma de incentivo aos trabalhos prestados pelos policiais maranhenses no combate ao crime.

 “A nossa luta é pautada na lei e na fé. Quando nós estamos fazendo esse prêmio, é exatamente uma forma simbólica e material de alimentar o ânimo, alimentar o desejo de que continuemos a nos esforçar coletivamente para obter mais resultados. É o policial que está hoje no enfrentamento das dificuldades cotidianas saber que esse esforço não é em vão, que esse esforço é visto, é lembrado e homenageado, rompendo a invisibilidade de quem se expõe”, disse o governador Flávio Dino.

  Ao longo de 2016 foram apreendidas 753 armas de fogo no Maranhão, número 14% maior que o alcançado em 2014, quando 662 armamentos deste tipo foram apreendidos pelas forças policiais.  Já em 2017, um total de 1.762 armas foram tiradas das mãos de bandidos, resultando em um aumento de 149% de armas aprendidas em comparação ao ano anterior. Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Maranhão (SSP) e demonstram os resultados positivos das operações policiais no impedimento às ocorrências com uso de armamento.

  “Armas apreendidas significa vidas salvas. Todos nós sabemos que teve um aumento na taxa de homicídio no estado do Maranhão no ano de 2009 a 2014, chegando 308%, do número de mortes. E considerando o mês de fevereiro em comparação ao mesmo mês do ano de 2017, nós superamos a marca de 55% de redução em mortes no estado e o número será maior em comparação ao ano de 2014. 1762 armas apreendidas e 748 mil reais em prêmios para policiais do estado do Maranhão, o valor financeiro é muito importante para o policial, além do trabalho desenvolvido com eficiência tendo como maior prêmio as vidas salvas, que ao retirar essas armas de circulação  impediram toda a sorte de um crime com o seu uso e a ação violenta criminosa”. Afirma, secretário Jefferson Portela.

O delegado Leonardo Diniz disse que: “É um momento de suma importância na história da segurança pública do Maranhão, de reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos policiais civis e militares, que no dia a dia lutam contra a criminalidade; e o governo do estado realiza esta ação valorosa, àqueles profissionais da segurança pública, onde propicia um enorme incentivo aos profissionais. Estão sendo valorizados e reconhecidos através da premiação. Todos têm em mente a certeza de que um trabalho bem feito vale a pena, e sabemos que existe dentro de cada um a vontade própria de fazer o que é certo, que é trabalhar em prol da sociedade. Uma polícia motivada é uma polícia que lhe dar mais segurança, e esse é o objetivo”.

“Esse reconhecimento serve de estímulo à atividade policial, ela está muito focada no propósito de cada homem e de cada mulher policial, porque o policial militar trabalha longe dos nossos olhos, não é um escritório onde todos olham a todos, o policial militar está na rua, então ele precisa ter um sentimento de pertencimento à instituição, esse sentimento que move o policial, a abordar, a correr atrás da ocorrência, a ter vontade de resolver os casos, de ter vontade de ajudar as pessoas, então é uma coisa que está muito focada ao propósito de cada um, e para que isso aconteça o homem precisa estar feliz. O segredo é o nosso policial está satisfeito, porque potencial nós temos, somos os melhores do mundo, somos calejados, somos forjados no fogo. A segurança é o melhor bem de uma sociedade, e este reconhecimento não só pelo pecuniário que obviamente vai ajudar bastante, mais pelo reconhecimento. Agradeço ao governador Flávio Dino por esse estímulo, por esse amparo aos nossos policiais, por essa visão humanitária do policial e, agradecer ao nosso secretário de segurança Jefferson Portela, que também comunga com esse mesmo pensamento; que o policial não é uma máquina, ele é um ser. A exposição ao perigo é muito grande e tem que ter um sistema que ampare, que dê respaldo, que esteja em todos os momentos para poder ir para a guerra com empenho total, pois temos uma tropa que tem dado resultados positivos, fruto do investimento e principalmente do tratamento humano e do reconhecimento que vem sendo dado pelo nosso sistema. Afirma, Coronel, Frederico Pereira.

PREMIADOS

 Os premiados da polícia civil foram: Policial Civil, Thiago Mena Barreto de Abreu, com 35 armas apreendidas; Policial Civil, Gilmar Pinto Pereira com 34 armas apreendidas; Policial Civil, Jesse Mauro Araújo Rocha, com 31 aramas apreendidas em 2017.
Os premiados da Policia Militar foram: 3º Sargento Policia Militar, Joelson Lima da Rocha, com 74 armas apreendidas; 3º Sargento Manoel Pacheco de Azevedo Neto, com 72 armas apreendidas em 2017; Soldado Cleison Leonel Costa Lima, com 72 armas apreendidas.

O PRÊMIO

A premiação aos policiais é concedida de duas formas. Uma é mensal, que classifica a bonificação por arma de fogo recuperada em flagrante e encaminhada à autoridade policial ou judicial devida. Os valores vão de R$ 300 a R$ 1.500, considerando o potencial lesivo do armamento e as circunstâncias da apreensão. Esses valores são depositados juntamente com os vencimentos mensais dos servidores. A outra forma é por bonificação anual, que premia os servidores que mais retiram armas das ruas durante todo o ano anterior com o valor de R$ 20 mil.

COMO FUNCIONA?

 Foram definidos critérios para a concessão do benefício. Armas de fogo curtas e mais simples, como .38, por exemplo, ao serem apreendidas possibilitam premiação no valor de R$ 300; pistolas .380 chegam a R$ 500; armas .40, de calibre superior ao doze ou armas de fogo dissimuladas, R$ 800; para fuzis automáticos, semiautomáticos e metralhadoras ou explosivos de uso exclusivo das Forças Armadas e de Segurança Pública, a premiação é de R$ 1.500 por arma. Se a apreensão for coletiva, o valor é dividido pelos membros da equipe envolvidos na operação. Para receber o valor, o policial precisar registrar o flagrante e apresentar requerimento padrão.

Estavam presentes na ocasião, o Governador Flávio Dino; o Secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela; o Comandante Geral da PMMA, Coronel Pereira; o Delegado Geral de Polícia Civil, Leonardo Diniz; Superintendente de Polícia Civil da Capital, delegado Armando Pacheco; Subcomandante da Polícia Militar do Maranhão, Coronel Luongo; Superintendente de Polícia Civil do Interior, delegado Dicival Gonçalves; o Superintendente de Polícia Técnico Científica, Miguel Alves;  delegada Nilmar da Gama, titular da Superintendência Estadual de Investigações Criminais, delegado Carlos Alessandro, titular da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico entre outras autoridades.

Carla Andrade – ASCOM/SSP