CATE do Maranhão participa de estágio prático antibombas no BOPE de Pernambuco

Em continuidade ao II Curso de Ações Táticas Especiais (CATE), realizado em Recife-PE, no Batalhão de Operações Especiais (BOPE), os 21 alunos partícipes do estágio do módulo de artefatos explosivos, após aulas teóricas, receberam noções sobre a origem do terrorismo e o uso de artefatos explosivos. O estágio continuou na manhã da terça-feira (18) e na quarta-feira (19), com aulas práticas, demonstrando o manuseio e o uso dos artefatos explosivos.

Nas dependências do BOPE, os instrutores repassaram aos alunos do CATE, uma demonstração de identificação e reconhecimento de artefatos explosivos. Os instrutores apresentaram um robô e material de proteção, usado nas ações antibomba do BOPE. O robô foi adquirido durante a Copa das confederações de 2013 e Copa do Mundo de 2014, juntamente com um kit antibombas, que integram uma roupa antichamas e anti estilhaços; e ainda, um capacete com multifunções. O Robô está avaliado em cerca de R$ 900 mil reais e a roupa em R$ 90 mil reais.

Durante a apresentação, o robô fora usado pelos instrutores, para examinar um artefato explosivo, onde depois locomoveram o artefato para um local seguro. Em seguida, o artefato foi detonado. O treinamento foi apenas uma demonstração para que os alunos levassem em consideração a importância do estágio de artefatos explosivos, no sentido de estarem capacitados para responderem ocorrências futuras que exijam a experiência necessária. O estágio capacitará os alunos para conduzirem pessoas em locais de risco, com segurança; desmontar artefatos explosivos e se necessário, detonar objetos que venham pôr em risco a sociedade. Já na quarta-feira (19), novas instruções, para que os alunos possam assimilar mais conteúdo e posteriormente resultar na pratica.

Instruções na teoria e na prática

O Capitão Simões do BOPE e instrutor do curso de artefatos explosivos repassou acerca do estágio, “Os alunos do CATE receberam instruções sobre a origem do terrorismo e os grandes grupos terroristas, artefatos explosivos, sua origem e classificação. As bombas industrializadas e manufaturadas, estas que são inventadas de forma popular. Abordaremos ainda, a prática de antibombas,  e em como receber e absorver a informação, que há uma bomba no local. Devido ao uso de violência e explosivos, por conta dos ataques às agências bancárias, há a necessidade de se inteirar desse assunto. Iremos mostrar no curso prático, como isolar o local, bem como a retirada das pessoas da área; depois desarmar e retirar os artefatos explosivos. Teremos uma  carga horária de cerca de 90h, atrelada à parte prática”, ponderou o capitão.

O Comandante do BOPE, o Ten. Cel Sodré informou” O segundo curso do CATE veio fazer um estágio de ações antibombas no BOPE de Pernambuco para qualificar o aluno nas ocorrências em que envolvam explosivos. O grupo estará habilitado para manusear tal tipo de matéria. Há ocorrências envolvendo ataques às agências bancárias, onde permanece material explosivo nas agências ou proximidades. Os alunos estarão preparados para manusear ou  desativar os artefatos explosivos.

O treinamento com os alunos do CATE do Maranhão continuará, por tempo hábil, nas dependências do BOPE de Pernambuco; objetivando em serem capacitados em um dos cursos mais difíceis do país, o BOPE de Pernambuco.

 

Mauro Wagner – ASCOM/SSP                                                                                                 Fotos: SSP