Polícia Civil prende quadrilha de roubo a combustível no interior e traficante de drogas mais procurada da Capital

“Missão dada é missão cumprida, e foi exercida pelo sistema de segurança com êxito”, Lawrence Melo

Em coletiva realizada na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP), a Polícia Civil esclareceu dados da operação denominada de “Colombo”, na tarde desta quinta-feira (23), que conseguiu tirar de circulação doze homens suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em roubo e comercialização ilegal de combustível no interior do Maranhão. O grupo atuava nos municípios de Itapecuru-mirim, Anajatuba, Coroatá, Barra do Corda e Codó.

A Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), por meio do Departamento de Combate ao Roubo de Cargas, e com base operacional das Delegacias Regionais de Codó e Barra do Corda, chegaram até o bando através de investigações minuciosas.

Foram presos durante a ação; Kennedy Araújo Soares (42), (Itapecuru Mirim); João Batista Silva Santos, (Coroatá); Francisco Nem da Silva, (Barra do Corda); Ademilton Borges de Sousa, (Codó); Jaciel Coelho Mota, (Codó); Antônio Ramos da Silva (61), (Tuntum); José Aldo Rodrigues Santana (45), (Itapecuru Mirim); Romário Licar Freire (27) (Itapecuru Mirim); Hailson Ribeiro de Lemos, (Itapecuru Mirim); Ednaldo de Jesus Mendonça, (Itapecuru Mirim); Gheckson Ferreira dos Santos (33), (Itapecuru Mirim) e Tatiana Lisboa Gama (25), (Anajatuba).

Segundo o delegado Augusto Barros, nessa ação foi obtida um saldo positivo, dos quatorze alvos buscados foi efetivado essas dozes prisões, subdivididas entre motoristas que ao transportar cargas de combustíveis, paravam em pontos estratégicos para fazerem a retiradas desse produto para a comercialização, além dos que se beneficiam com a prática, mais relacionadas com o comércio clandestino.

Ainda foi apreendido 1.989 litros de combustível e dois caminhões tanque contendo 50 mil litros de combustíveis.

“As investigações serão continuas para que essa prática seja reduzida na região”, acrescentou Augusto Barros.

O Secretário adjunto da SSP, Saulo de Tarso; parabenizou a todos os envolvidos nesta ação, “Quero parabenizar a todos os profissionais envolvidos nessa missão, que se soma a todas as outras”, disse.

O bando foi autuado pelos crimes como furto qualificado, compra, distribuição, venda ilegal de combustíveis e formação de quadrilha.

Prisões da SENARC

A Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), apresentou resultados de uma operação minuciosamente arquitetada para fins de acoplar a prisão da principal cabeça de liderar o tráfico de drogas e uma facção criminosa, atuante no condomínio do Programa de Aceleração ao Crescimento (PAC), no bairro da Camboa/Liberdade, Valdirene Pereira (34), popularmente conhecida por “Val”.

Segundo o superintendente, Carlos Alessandro essa ação foi desempenhada na noite desta quinta-feira (23), e teve êxito, tanto que prendeu Val, além de, Raul Giudicelly Carvalho Silva (28) e Leonardo de Oliveira Souza (35), o “Leo Gordo”, sob acusação dos crimes de associação criminosa e tráfico de drogas.

A operação iniciou-se no bairro da Ponta D’Areia, onde agentes prenderam Val e Raul que permaneciam hospedados em um hotel na Península.

Em seguida a prisão dos dois, os agentes foram até o bairro da Camboa, de modo a cumprir mandados de busca e apreensão nas residências dela, provenientes de possíveis pontos de vendas de drogas administrados por Val. Em andamento foi preso também Leonardo Souza, que consta em seu desfavor um mandado de prisão preventiva em aberto.

Vale advertir que Val já havia sido presa juntamente com seu marido conhecido por “Daniel” no ano de 2015 em decorrência de uma operação desencadeada entre a SEIC e SENARC. Prontamente no ano de 2016 foi preso “Pinóquio”, responsável pelo armazenamento do armamento de Daniel, no tempo sendo apreendida quatro pistolas .40, dois revolver calibre 38 e uma submetralhadora 9mm. Fortemente armados e prontos a promover barbárie na capital. Daniel meses depois foi assassinado no bairro do Renascença, diante disso Valdirene assumiu a chefia de uma facção criminosa com atuação nos bairros da Camboa, Liberdade e alguns bairros na região central de São Luís.

Durante coletiva foi destaque o brilhante trabalho exercido pelas forças de segurança no combate que se faz contra o crime organizado e ao tráfico de drogas. A maior operação já registrada no estado do Maranhão, foi notadamente exercida no condomínio do PAC, que movimentou de forma técnica e profissional mais de mil homens dentre eles polícias civil e militar e ainda o corpo de bombeiros militar, chefiados pelo Secretário de Segurança, Jefferson Portela.

Lawrence Melo objetivou a operação como plena as pessoas residentes naquela área; “O objetivo principal foi resguardar a cidadania e o direito de moradia de mais de duzentas e oitenta e oito famílias que lá residem e que estavam sendo ameaçadas por organizações criminosas com foco no tráfico de drogas. Essas facções tencionaram ocupar um território que não lhes pertence. E o sistema de segurança naquela data agiu prontamente, restabelecendo todas as diretrizes em que se fundamentam o estado democrático de direito”, pontuou.

Vale ressaltar que a cúpula do sistema de segurança tinha ciência que tanto Val quanto Léo Gordo não estariam presentes na data realizada da ação, mas, nem por isso deixaram de cumprir na ocasião a missão a eles estabelecida.

O Subcomandante da PM, Cel. Jorge Luongo, destacou que o trabalho é fruto de uma integração entre as policias maranhense; “Isso é fruto de um trabalho iniciado há bastante tempo, é uma marca da gestão do dr. Jefferson Portela, a conexão entre as policias e o resultado positivo alcançado hoje fortalece e encaminha todas as ações para um resultado que a sociedade deseja, melhora na segurança e nos índices de criminalidades no nosso estado”, acrescentou.

 

Carolina Gomes/ASCOM SSP-MA

Fotos: Nilson Figueiredo