Polícia Militar realiza o CATE, com estágio em Pernambuco

Foto: Divulgação da Policia Militar

Por: Mauro Wagner/ Ascom – SSP

Em prosseguimento ao II Curso de Ações Táticas Especiais (CATE), as Forças de Segurança realiza o curso, visando habilitar os participantes para o pronto enfrentamento para situações de alta complexidade, tais como: gerenciamento de crises, mergulho, salvamentos aquático e em altura, atividades de resgate de reféns e controle de rebeliões em estabelecimentos prisionais. O CATE tem a duração de 67 dias e conta com 33 alunos matriculados. Na oportunidade o CATE realizará também um estágio de 14 dias no mês de julho, objetivando habilitar os mesmos a dar a primeira resposta em ocorrências envolvendo artefatos explosivos.

O CATE está sendo realizado pela Polícia Militar do Maranhão, onde fora iniciado nesta terça (30), por volta das 9h, no Quartel do Comando Geral, localizado no bairro do Calhau. O curso do CATE visa na capacitação do policial para o pronto enfretamento das ações criminosas. A finalização do CATE eleva policial para um nível de controle e experiência em ambientes diversos, os preparando para atuarem em situações que exijam elevado grau de eficiência e uma intervenção mais técnica.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP), por meio do Secretário Jefferson Portela, tem apoiado a tropa da Polícia Militar, não somente no quesito de reaparelhamento, mas também no investimento técnico. “Estamos dando todo o apoio ao curso do CATE, dando assim uma importância maio na formação continuada, garantindo assim não somente uma formação de eficiência, mas dando uma segurança adequada à sociedade”, ressaltou o secretário. Jefferson Portela elencou ainda, que a SSP está apoiando as ações operacionais de segurança, desenvolvidas pela Polícia Militar no Estado do Maranhão.

 II Curso de Ações Táticas Especiais

O II Curso de Ações Táticas Especiais (CATE) tem a duração de 67 dias, contando com 33 alunos matriculados, sendo um policial militar do Estado do Tocantins, um Guarda Municipal e ainda um Agente Penitenciário. Os outros 30 matriculados são policiais militares do Maranhão.  O Comandante da Polícia Militar do Maranhão, o Cel. José Frederico Pereira informou “O curso do CATE objetiva na capacitação dos policiais para o desempenho de missões que exijam especializações e doutrinas relativas às atividades de Ações Táticas Especiais. O curso é uma das ações de capacitação continuada da Diretoria de Ensino da PMMA, e é realizado por meio do Comando de Policiamento Especializado (CPE)”, considerou o comandante.

Durante o curso, serão ministrados para os policiais para o pronto enfrentamento de situações de risco e alta complexidade: Gerenciamento de crises; Segurança de dignitários; Mergulho, salvamentos aquático e em altura; atividades de resgate de reféns, Controle de rebeliões em estabelecimentos prisionais e atividades de alto risco em zonas urbanas, rurais e de selva. Além dos treinamentos citados, o curso conta também com instruções de tiro de precisão; operações rurais; operações de assalto tático; operações aéreas; intervenção em presídios; ocorrências com explosivos e demais conhecimentos táticos, para o bom desempenho da profissão.

Alunos do CATE estagiando em Pernambuco

No âmbito instrucional, os alunos do CATE, no sentido de habilitar os mesmos participarão de dois estágios no Estado de Pernambuco, em Recife. A viagem com data marcada acontecerá a partir do dia 15 de julho, com retorno para o dia 02 de agosto, de 2017. O primeiro estágio será de 17 à 22 de julho, na antiga Companhia Independente de Operações Especiais, hoje conhecido como Batalhão de Operações Policiais Especiais, (BOPE), da Policia Militar de Pernambuco.

Os alunos terão instruções da parte de explosivos, onde envolve antibomba e ocorrências no tocante à explosivos. Os alunos estarão se habilitando a dar a primeira resposta em ocorrências envolvendo artefatos explosivos. Eles irão se habilitar na utilização de explosivos em ocorrências que exijam o rompimento ou a abertura de portas e obstáculos com a utilização de explosivos.

O segundo estágio será de adaptação à caatinga, que ocorrerá de 24 à 31 de julho, onde contará a parte de operações Ribeirinhas, no Rio São Francisco. O grupo estará habilitado a atuar em operações em áreas rurais, onde terão instrução de patrulhas rurais, contra emboscada, abordagens em áreas rurais e sobrevivência em áreas rurais, principalmente nas áreas de caatinga também. Os alunos do CATE após o curso estarão habilitados à operações tanto na área urbana como na rural.