POLÍCIA CIVIL REALIZA OPERAÇÃO “ALTAS HORAS”, CULMINANDO NA PRISÃO DE DOIS ACUSADOS

SSP-Ascom

Uma operação da Polícia Civil desencadeada nesta quarta-feira última (04), resultou na prisão de Dione Matias dos Santos e Rafael Oliveira Costa. Eles foram presos por conta dos crimes de arrombamentos e furtos em cerca de 10 estabelecimentos em São Domingos do Maranhão. A operação que culminou na prisão dos mesmos foi denominada de Operação “ALTAS HORAS”.

A ação da Polícia Civil de São Domingos do Maranhão, após investigações pela operação “ALTAS HORAS”, prenderam os suspeitos Dione Matias dos Santos e Rafael Oliveira Costa. A ação foi determinada pelo cumprimento de um Mandado de Busca e Apreensão expedido pela Justiça. A dupla está sendo acusada de praticarem arrombamentos e furtos em cerca de 10 estabelecimentos comerciais no município. Com a ação da polícia foram recuperados vários objetos furtados pelo grupo criminoso.

As investigações iniciaram há cerca de 20 dias, onde as ações criminosas foram realizadas durante as madrugadas. A ação de crime foi perpetrada por um grupo de criminosos, os quais realizaram inúmeros arrombamentos e furtos em estabelecimentos comerciais. Eles subtraíram roupas, celulares, sapatos, computadores, bolsas, amplificador de som e etc. Os criminosos escalavam muros e telhados dos estabelecimentos comercias e danificavam o foro e telhado para adentrar nos estabelecimentos e praticar os delitos. Inúmeros foram os prejuízos causados aos comerciantes do município de São Domingos do Maranhão.

Monitoramento e prisão dos criminosos

Os policiais iniciaram um monitoramento e descobriram que os criminosos sempre atuavam na calada da noite. Foram noites e noites de investigação, até que os investigadores descobriram que o mentor dos arrombamentos e furtos nos estabelecimentos comerciais tratava-se do indivíduo “Dione”. Descobriram também, que o grupo criminoso fazia um monitoramento dos comércios, para saber sobre a existência de câmeras de segurança e sistema de alarmes, onde os levantamentos eram repassados ao mentor “Dione”, que determinava as “ordens das ações criminosas’. A partir de então os investigadores passaram a monitorar os passos de “Dione” e descobriram que ele comandava um grupo de mais três elementos, que lhe auxiliavam nas práticas criminosas, sendo dois deles, menores de idade. Após todo levantamento feito pelos Investigadores, foi solicitado ao Judiciário mandado de busca e apreensão na casa de Dione, a fim de encontrar e recuperar os objetos roubados e determinar na sua prisão, o que ocorreu a contento.