Operação Demolição realizada pela Polícia Civil prende membros de facção criminosa acusados de homicídios e tráfico de entorpecentes

SSP

Uma força tarefa envolvendo a Polícia Civil do Maranhão logrou êxito no Cumprimento a 17 Mandados de Prisão Temporária e 12 de Busca e Apreensão contra membros de facção criminosa. A ação policial denominada “Operação Demolição”, aconteceu nesta quarta-feira (18). No bairros do São Raimundo e adjacências. Foram notificados ainda pelas prisões, internos os quais estavam no Sistema Penitenciário de São Luís.

A ação contra os criminosos fora realizado por meio da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), a Seccional Leste, Norte e ainda o 15º DP do São Raimundo e o apoio operacional da SPCI, SHPP, SENARC, SECCOR e CTA. A operação identificada como “Operação Demolição” fora efetuada no bairro do São Raimundo e adjacências, objetivando dar cumprimento à 17 Mandados de Prisão Temporária e 12 de Busca e Apreensão contra membros de facção com atuação naquela área da região metropolitana da capital maranhense.

Operação Demolição tira criminosos de Cirgulação

De acordo com o Superintendente da SPCC, o Delegado Carlos Alessandro, a Operação Demolição resultaram nas prisões de 12 (doze) pessoas, dentre as quais 03 (três) mulheres, dendo elas: ELIZABETH NOGUEIRA SOARES, a “Dona Beta”; DUCILENE ROCHA DOS SANTOS, conhecida como “Dulce” e CRISTIANE BIANCA). Presos ainda, 05 (cinco) detentos do Sistema Penitenciário: MAURO ALVES SOARES, o “Demolidor”; MAURO CAMPOS ALVES NETO, o “Maurinho”; LUIS HENRIQUE LIMA FERNANDES FILHO, conhecido por “Luizinho”; TONES GABRIEL MORAES AGUIAR, o “Shrek” e ALEXANDRE SANTOS SILVA, o ” Xande”). Este, de dentro do presídio, comandavam toda sorte de crimes praticados pelos outros investigados, desde tráfico ilícito de drogas; o carro-chefe da atividade criminosa desempenhada pelo grupo até a prática de roubos, homicídios, ocultação de cadáveres, tortura, ameaças e estupros. De dentro da cadeia, ainda que isolados dos demais comparsas, os líderes da fação, MAURO ALVES SOARES e seu filho MAURO CAMPOS ALVES NETO, comandavam as ações dos demais comparsas em visitas que recebiam, através das quais repassavam as ordens por meio, principalmente, de bilhetes escritos à mão. Presos ainda na operação Demolição, JOÃO VITOR DE ARAUJO BARROS, vulgo “Drogba”, PABLO, vulgo “Menorbrod’, SANDRO e LEONI DE SOUSA CAXIAS.

As investigações feitas pela Polícia Civil, em especial pelas Superintendências da Capital-SPCC e de Homicídios – SHPP, apontam a prática de pelo menos seis homicídios de adversários de outras facções e até dissidentes da própria organização, cujos corpos, suspeita-se, foram enterrados dentro da área de mata fechada próximo ao bairro do São Raimundo.