Batalhão de Choque comemora 31 anos de essência no Maranhão

Foto: Nilson Figueiredo

Por Carolina Gomes / Ascom – SSP

O Batalhão de Polícia de Choque – BP Choque, comemora seus 31 anos de existência, pois tem em sua missão atender necessidades de segurança oriunda da comunidade quanto a satisfação de pessoas e proteção ao patrimônio, reduzindo os índices de crimes na proteção do cidadão. Priorizar a prevenção é foco instantâneo de serviços de alta qualidade, elevando a capacitação de alto grau de motivações dos policias militares compostos nesse batalhão. 

Objetiva-se nas suas atribuições a responsabilidade em manter a ordem pública em ações de contraguerrilha urbana e rural, planejando estrategicamente o comando, coordenando e fiscalizando o controle de operações, e executando planos e ordens do escalão superior. 

No ano de 1979 o comandante da PMMA, Cel. ExB Floriano Barbosa de Amorim identificou o panorama autoritário que vivia o país, com constantes transformações e insatisfações que passava a população, com base nesse contexto foi criado junto a Companhia do 1° BPM, um “Pelotão de Choque”, com cerca de trinta e três policias, estes altamente treinados pelo então 1° Tenente QOPM, Nestor Renaldo Conceição Filho.

Um novo efetivo composto por sessenta soldados foi agrupado e o pelotão se transformou na “Companhia de Choque do 1° BPM”, permanecendo até a criação da “Companhia de Choque Independente”, de acordo com a Lei N°. 4.716- De 17 de abril de 1986.

Sua finalidade se atribuiu aos ofícios extraordinários, nas ações de controle de tumultos e o policiamento em eventos e praças desportivas. Nessa ocasião surgiu uma nova modalidade de especialidade, o então policiamento de “Rondas Ostensivas Tático Móvel – ROTAM”. Com sede iniciada nas dependências do estádio de Futebol Castelão, a frente estava o primeiro oficial da instituição com o Curso de Operações Especiais – BOPE, realizado na Polícia Militar do estado do Rio de Janeiro, o então Capitão Santos.

Com o decreto N°. 20.376 de 29 de março de 2003 a companhia passa a se chamar “Batalhão de Missões Especiais – BME”, que manteve suas missões anteriores e assim seus pelotões transformaram-se em companhias, onde se iniciou a concepção da “Companhia de Operações Especiais”, comandada pelo Tem. QOPM Rodrigues, sendo acrescida também um pelotão de motocicleta denominado “Esquadrão Águia”, o que elevou a quantidade de ocorrências atendidas, por razões da mobilidade mais célere do batalhão com policiamento ostensivo na capital.

No mês de março do corrente ano foi formado a 2° turma do “Curso de Operações de Choque”, no Maranhão com 28 concludentes, dentre eles um policial militar do Piauí e outro do Acre. A finalidade foi aprimorar disciplinas tais como, técnicas e táticas de controle de distúrbio civis (CDC), atuação em estabelecimentos prisional, gerenciamento de crise, abordagem, reintegração de posse em área rural e urbana.

Para comemorar o aniversário de XXXI do batalhão, foi preparado o 1° jogos esportivos em alusão a data, a interação e a confraternização entre os integrantes da unidade beneficia a prática de esportes, ainda futebol society, corrida de revezamento, natação, torneio de sinuca, dentre outros.

As atividades tiveram início no dia 03 e se estende até 15 de abril, realizados no turno matutino e, se destina ao treinamento físico militar (TFM) e instrução para o pelotão.

O atual comandante do batalhão de choque, Ten. Cel. Wellington de Araújo, enfatizou que tem orgulho de compor, e é uma grande honra e satisfação está à frente dessa unidade; “São três anos no comando já, onde temos buscado a excelência na qualidade no tocante a prestação de serviço, buscamos principalmente qualificar nossos policias para aquilo na qual a unidade a 31 anos foi criada, que é fazer frente a situação de distúrbios civis com objetivo de restabelecer a ordem pública quando esta for quebrada”, destacou.

Enfatizou ainda a atenção especial que é dada ao policial integrante da unidade, pois entende que a valorização deles implicar no trabalho mutuo e que dignifica a alma do atuante.