Novas operações visam o combate a crimes recorrentes na capital

Após um planejamento estratégico que visa o combate a crimes recorrentes na capital, o novo Comandante Geral, Coronel Frederico Pereira, coloca em prática operações para a redução de índices, como: roubos a bancos, assaltos ao transporte público.

A operação “Malha Metropolitana” objetiva  patrulhar regiões da cidade em horários pré-estabelecidos, tendo como fixação locais de grande fluxo de pessoas, tais como rotatórias e ambientes comerciais, realizando abordagens e barreiras de vistoria.

Nos bairros com maior incidência de homicídios, a operação “Cerco Total” tem o intuito de saturar e intervir com a prevenção e combate a crimes dessa natureza. Após planejamento prévio junto ao Centro Integrado de Operações de Segurança, são realizadas rondas diárias em áreas com altos índices desse tipo de criminalidade.

As abordagens à ônibus, com revista aos passageiros e o contato direto com os profissionais rodoviários, serão intensificados com a operação “Transporte Seguro”, em regiões da cidade onde há maior concentração desses delitos. Concomitantemente à operação, equipes especiais trabalham na investigação buscando identificar suspeitos.

O combate a assaltos a bancos e lotéricas também será intensificado, com a nova tropa especializada no planejamento e atuação em crimes de alta complexidade – a Companhia de Operações e Sobrevivência em Área Rural (Cosar). Esses policiais trabalharão em consonância com o diretório de inteligência, realizando operações pontuais na repressão a crimes a instituições financeiras em todo Maranhão.

“Todos estamos irmanados no sentido de combater assaltos a bancos no Maranhão. Esse grupo [Cosar] teve o que há de melhor. A sociedade maranhense irá ouvir falar muito nesse grupo de elite, com uma resposta satisfatória e rápida contra esses tipos de criminosos”, ressaltou Pereira.

Ainda segundo o comandante geral, com os novos investimentos, recursos materiais e humanos, a pretensão é implementar novas modalidades de segurança, como uma companhia de policiamento em motocicleta que ficará concentrada em bairros de difícil acesso, tendo em vista a facilidade na mobilidade desse tipo de veículo.

Por Fernando Costa/ASCOM SSP