Novos militares reforçam policiamento nas ruas garantindo a segurança da população maranhense

Novos policiais militares já estão nas ruas do Maranhão. Mais de 1.300 militares participaram de sete meses de formação, e agora, estão aptos para a atuação policial. A ampliação do quadro das forças policiais integra a política de segurança aplicada pelo Governo do Maranhão. A intensificação do policiamento urbano, em locais estratégicos das cidades, tem sido reconhecida e aprovada pela população. Paradas de ônibus, áreas comerciais e de maior concentração de pessoas são alguns dos pontos estabelecidos para o reforço.

O 8º Batalhão da Polícia Militar de São Luís, por exemplo, recebeu mais de 100 novos soldados. De acordo com o comandante do batalhão, o tenente-coronel Sílvio Deça, os novos policiais foram divididos em guarnições e já trabalham diariamente na região norte da cidade. A área contempla bairros como São Francisco, Renascença, Bequimão, Cohama, Vinhais, Cohatrac, Parque Vitória e Turu.Foto2_NaelReis - Novos policiais nas ruas

“Os novos policiais estão executando policiamento ostensivo a pé nos pontos críticos e nas áreas comerciais. Eles também trabalham auxiliando no combate de roubos a coletivos e na ação especial do pré-carnaval”, comentou o tenente-coronel Deça.

Renan Santos Leite, 27, é um dos soldados recém-formados que já participam das rondas e patrulhamento. Ele comemora o início do trabalho e aponta que a população já demonstra maior sensação de segurança. “A população tem nos recebido com muito entusiasmo e tem nos agradecido muito. Temos sido bem vistos pela sociedade. Estamos atuando aqui na área do Renascença, onde tinha índices mais altos de saídas de banco e pequenos assaltos. A presença ostensiva da polícia tem diminuído muito isso. O foco do nosso trabalho é a ostensividade, porque isso inibe a presença do bandido”, pontuou o soldado Leite.

Anteriormente ao exercício de sua nova função social, Renan atuava como professor de Química. Hoje, orgulha-se da conquista pessoal e das novas atribuições. “Tínhamos perdido as esperanças de convocação, mas pudemos reconquistar esse cargo e essa vitória graças ao atual governo. Somos felizardos por poder servir a sociedade maranhense e contribuir para o bem estar social”, comenta ele.

Já Jailson Pedro dos Santos Júnior, 22, morava em Pernambuco e se mudou para São Luís para assumir o novo trabalho. “No treinamento, aprendemos muito e hoje estamos colocando tudo em prática: abordagens a ônibus, a pedestres, ciclistas, tudo em prol da sociedade, servindo e protegendo como a gente aprendeu. Sempre tive vontade de ser policial. Acho um trabalho muito bonito”, considerou o agora soldado Jailson.

O companheiro de equipe dele, Saulo Oliveira Sousa, 30, explica que eles têm trabalhado no policiamento comunitário e atendimento ao público. “Nosso foco, também, está nos assaltos a ônibus. Estamos conseguindo apreender armas e drogas e a população tem contribuído com a gente”, afirmou.

Repercussão positiva

A técnica em Laboratório Patrícia Almeida, 28, considera a atuação e o reforço fundamentais para a garantia da segurança da população. “O aumento dos policiais intimida a ação de assaltantes, isso ajuda muito”, opinou.

Gilcele Pavão, 31, estudante de Farmácia, reitera o valor da atuação policial mais próxima à comunidade e as intervenções policiais mais presentes no dia a dia. “Quando tem policiamento na rua, os bandidos ficam mais intimidados e vão pensar duas vezes antes de cometer assaltos. Já presenciei revistas dentro dos ônibus ali no Anel Viário e tenho visto aqui no Renascença nas paradas também. Se os bandidos sabem que existe o policiamento, param de agir”, disse Gilcele.

Ao todo, foram formados cerca de 1.500 policiais para reforçar o trabalho das forças de segurança no Maranhão: mais de 1.300 policiais militares e outros 200 policiais civis. O Curso de Formação de Soldados da Polícia Militar (CFSD-PMMA), com duração de sete meses, incluiu treinamentos e disciplinas como Atendimento ao Público, Armamento e Tiro, Policiamento Comunitário, Oratória, Gerenciamento de Crise, noções de Direito Penal e Legislação Especial, Defesa Pessoal, dentre outros.