Secretaria de Segurança Pública promove campanha de combate às drogas na capital

Dando continuidade as ações do projeto “Crack, é possível vencer “, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, em parceria com o governo federal, realizou na manhã desta sexta-feira (11), no bairro do João Paulo, uma campanha de mobilização para resgatar pessoas que sofrem com a dependência química.

O principal objetivo é fortalecer as ações de segurança pública no aspecto de prevenção ao uso e abuso de drogas, nas comunidades com maior vulnerabilidade e pontos conhecidos pela grande concentração de usuários de entorpecentes, além de combater o tráfico de drogas dentro dos bairros.

Na primeira fase da campanha, que foi realizada na praça Deodoro, região centro de São Luís, os resultados foram positivos, pois cerca de 100 pessoas procuraram o posto da campanha em busca de atendimento e, consequentemente, dos tratamentos cabíveis.

Segundo o coordenador do projeto, delegado Joviano Furtado, o propósito é reforçar as ações e campanhas de prevenção que já vem sendo realizadas pelos CAPS (Centros de Atenção Psicossocial). “Temos o objetivo de trazer essas pessoas ao tratamento de forma espontânea. Elas são submetidas a triagem, após avaliação de psicólogos e designadas aos tratamentos ambulatoriais nos CAPS. Os casos mais graves são encaminhados às Unidades de Atendimento Transitório (UAT), além de tratamento em comunidades terapeutas” informou Joviano Furtado.

O bairro do João Paulo foi escolhido por ser uma região onde há grandes pontos de vendas e consumo de drogas. Cerca de 147 pessoas foram atendidas, sendo que vinte e duas submetidas aos tratamentos disponíveis pelo projeto. Além do apoio psicológico, o público passa por avaliação médica, contando ainda com exames simples como teste glicêmico e medição de pressão.

“Essas ações veem confirmar o compromisso do governo Flávio Dino, por meio da Secretaria de Segurança Pública, em desempenhar trabalhos de prevenção às drogas, realizando diversas atividades, levando informações e conhecimento sobre dependência química com o foco de alertar e prevenir a sociedade”, avaliou.