Policia Civil prende suspeitos de integrar Organização Criminosa na Capital

A Policia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Repreensão a Narcóticos (SENARC), a Superintendência Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa ((SHPP), com o apoio do Departamento de Combate ao Crime Organizado (DCCO) realizaram na madrugada desta quinta-feira (29), uma operação que resultou na prisão de suspeitos de integrar uma organização criminosa em São Luís. Com eles foi apreendida munição de calibre 9mm e .40. Todos

foram encaminhados para a sede da SEIC.

Taylson César Costa
Taylson César Costa

As prisões aconteceram por meio de cinco cumprimentos de mandados de prisões temporárias. Durante a operação foram presos Taylson César Costa, 23 anos, Hugo Leonardo Correia Sousa, 24 anos, Thassio Roberto de Araújo Pereira, 19 anos, Elter de Jesus Martins Pereira, 29 anos e Waldeir Amorim Pereira, 23 anos. O suspeito Taylson Cesar Costa resistiu à prisão e tentou se evadir da sua residência de posse de uma pistola na mão. O suspeito tentou fugir escalando os muros das residências vizinhas, mas foi contido por um disparo que atingiu uma de suas pernas. A pistola carregada por Taylson Costa foi descartada e não foi encontrada pelos investigadores. Ele foi encaminhado para um hospital da cidade para atendimento médico.

Fotos em Redes Sociais e Autuações

De acordo com o Delegado Carlos Alessandro, do DCCO, que acompanhou a a operação “O grupo já estava sendo monitorado a cerca de dois meses. Eles divulgaram fotografias do grupo nas redes sociais ostentando armas de fogo e fazendo apologia ao crime. Toda a operação, foi centralizada no Bairro de Fátima”, disse o delegado. Após as prisões os cinco presos foram encaminhados para a sede da Superintendência Estadual de Investigação Criminal (SEIC) na capital, onde prestaram esclarecimentos. Após serem ouvidos, foram autuados pelos crimes de organização criminosa e posse irregular de arma de fogo de uso restrito.

Apreensões

Com os suspeitos foram apreendidos 05 munições intactas de calibre 9 milímetros e 12 de calibre ponto quarenta, que são munições de uso restrito ás polícias. Finalizado os procedimentos, todos foram encaminhados ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde ficarão à disposição da justiça.

Anselmo Oliveira e Mauro Wagner / ASCOM SSP