Polícia Militar amplia projetos preventivos em escolas e combate crimes cometidos contra estudantes

Um policial militar no lugar do professor e ensinando, de forma clara, os malefícios do envolvimento com o submundo das drogas e da violência. Este é o principal ensinamento de policiais militares que se tornam, de segunda a quinta-feira, instrutores do Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência (Proerd).

A Polícia Militar cumprindo seu papel constitucional utiliza homens e mulheres da corporação a fim de impedir que crianças e adolescentes sejam atraídas para o mundo das drogas e resistam às pressões e as influências diárias que contribuem para uso de drogas e à prática de violência, seja ela física ou psicológica. Além da presença do policial militar fardado em sala de aula, a presença da PMMA, também é vista nas portas das escolas com equipes do Ronda Escolar.

O Proerd já formou, desde sua implantação, 341.694 estudantes do 5º ano do ensino fundamental, na faixa etária dos 9 a 12 anos. O Programa já desenvolveu ações em 132 municípios. Este ano, o Proerd está sendo ampliado para 38 munícipios. “Esta é a forma de se fazer Segurança Pública, na qual se tem o envolvimento de várias instituições, entre elas, a escola e a família. Este programa mostra as crianças que se envolver com as drogas e com a violência não é um caminho seguro. Além disso, estamos reforçando todas as ações no entorno das escolas garantindo que professores e alunos transitem e não sejam vítimas de delitos”, pontuou o comandante geral da Polícia Militar, coronel Marco Antônio Alves.

No último dia 14, cerca de mil trezentos e oitenta e uma crianças concluíram mais uma etapa do Programa. No estádio Castelinho, em São Luis, eufóricos os alunos de 20 escolas da rede municipal de ensino da zona rural participaram de mais um momento de festa durante a formatura de 2015.

Além de São Luís, o Proerd é realizado nas cidades de Caxias, Pinheiro, Imperatriz, Balsas, Rosário, Santa Inês, Codó, Presidente Dutra, São João dos Patos, Itapecuru-Mirim, entre outras. O Programa possui como material didático, o Livro do Estudante, auxiliando os respectivos alunos e policiais PROERD no desenvolvimento das 10 lições contidas no material.

Engajamento da Família

A filosofia do Programa prevê ainda, o direcionamento de ações aos pais e responsáveis legais, promovendo dessa forma a reflexão sobre a importância da família como ambiente primeiro da prevenção. Baseado nisso, o reconhecimento da importância do projeto é exemplificado por Marco Ribeiro, pai de uma estudante que participa do Proerd, no bairro do São Raimundo. “A questão da violência é geral. Temos todos os dias que alertar nossos filhos sobre os riscos da violência. Nisso, quando temos um importante aliado que é esse projeto ficamos mais fortes para impedir que nossos filhos sejam chamados para o mundo das drogas”, afirmou.

Para ser Instrutor do programa, além de ser policial militar com pelo menos dois anos de efetivo serviço, o PM passa por uma seleção em que são observados caracteres pessoais, tais como: ser voluntário, ter habilidade para falar em público, não ser usuário de drogas lícitas ou ilícitas, não estar respondendo a processo civil ou criminal, ter bom comportamento profissional. Posteriormente, o policial passa pelo curso de formação de Instrutores Proerd, com a duração de 80 horas/aula, onde lhe será apresentada a filosofia do programa, sendo-lhe repassado o conhecimento técnico-pedagógico para habilitá-lo a aplicar o programa.

“As estratégias do Programa têm um caráter essencialmente preventivo, proporcionando à comunidade condições de modificar os fatores ambientais e comportamentais que contribuem ao abuso de drogas e à violência. A proposta implica numa mudança de paradigma no modo de ser e estar no convívio da comunidade por parte dos profissionais de segurança pública e, consequentemente, numa mudança de sua postura perante o cidadão”, disse o secretário estadual do Proerd, capitão Wellington Rodrigues.

Ronda Escolar

Aliado ao trabalho preventivo do Proerd, a Polícia Militar atua ainda com ações do Ronda Escolar. As atividades são operacionalizadas por meio de rondas ostensivas e atendimento de ocorrências nas escolas e em áreas no entorno. Atualmente, a ronda escolar beneficia mais de 160 escolas de 12 polos atendidos na Região Metropolitana de São Luís.

De acordo com o tenente-coronel Jorge Araújo, comandante do Ronda Escolar, a medida é para garantir a segurança no ambiente escolar. “Trabalhamos em conjunto com a Secretaria de Educação. Nosso planejamento é embasado com as direções das escolas, uma vez que nos reunimos de forma periódica com os professores e escutamos todas as demandas”, lembrou o comandante do Ronda Escolar.

Ele lembrou, ainda, que a atuação do Ronda Escolar não se restringe as áreas no entorno das unidades escolares. “Estamos atuando não só no perímetro próximo a escola, mas patrulhamos, também, até as paradas de ônibus”, completou.

Além da presença constante de uma viatura do Ronda Escolar nas portas das escolas, principalmente nos horários de entrada e saída dos alunos, equipes dos Batalhões da área, como por exemplo, nos colégios do São Cristóvão e Cidade Operária, viaturas do 6º BPM realizam ponto-base nas portas das escolas. Já na área do Anil, o 9º BPM, também, reforçou as ações em conjunto com o Ronda Escolar nas proximidades das escolas Saragana II, Barcelar Portela, entre outras.

Paralelo às ações do Ronda Escolar, os Comandos de Policiamento de Área Metropolitano I, II e III (CPAM) tem deflagrado outras ações em pontos estratégicos que resultarão na redução das incidências criminais em áreas próximas as escolas. O mesmo planejamento vendo sendo executado nas escolas do eixo Itaqui- Bacanga. “Intensificamos as ações de repressão aos assaltos, furtos e para prender homicidas. Isso ajuda a impedir que estes criminosos cheguem às áreas próximas as escolas”, pontuou o coronel Egídio Amaral, comandante do CPAM III.

Reforço

Para as ações de repressão à criminalidade, com atenção também as áreas próximas às escolas, o Governo do Estado, em dezembro deste ano, vai aumentar o efetivo da Polícia Militar. A medida faz parte das medidas de recompor o efetivo do Sistema de Segurança Pública e trazer tranquilidade e segurança ao cidadão maranhense. Os novos soldados estão em fase de formação no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da Polícia Militar (CFAP).

Além da recomposição do efetivo, o Governo do Estado, no mês de março, entregou cinco novas viaturas para o Ronda Escolar e para o Proerd. Há, ainda, projetos de compra de novas viaturas que irão ser destinadas para as cidades do interior e da região metropolitana, bem como atender outros projetos desenvolvidos pela Polícia Militar.