Policiais da Senarc apreendem drogas e armas durante operação

Duas pessoas presas e 75 quilos de maconha apreendidos pela Polícia Civil, foi o resultado de operação que monitorava quadrilha interestadual de tráfico de drogas. O homem detido integra a quadrilha de assalto a banco do John Lennon – conhecido e perigoso assaltante que foi morto mês passado, em confronto com a polícia e responsável por comandar vários roubos em agência do interior do Estado.

Segundo a polícia, a maconha apreendida é de origem paraguaia e vinha do Pará para ser distribuída na capital ainda esta semana. “Toda essa droga era decorrente do assalto a banco e é mais cara que a comum, valendo três vezes mais. Se fosse distribuída no mercado daria um lucro de 100% aos traficantes”, disse o titular da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), Tiago Bardal.

Denúncia feita à polícia informou que um casal vinha de Paraupebas para São Luís de trem, na noite da terça-feira (20). Policiais montaram campana e assim que o trem chegou ao terminal do Anjo da Guarda, por volta das 20h30, de imediato deram voz de prisão a Marcelo Naftali Coelho Rodrigues, de 28 anos, que é de Vargem Grande e à mulher dele, Aracy Silva Bayma, de 39.

A droga estava escondida em duas malas grandes de viagem. Marcelo estava foragido da Justiça devido a vários mandados por roubo a banco. A dupla foi autuada em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico. A maconha apreendida é modificada e custava R$ 3 mil o quilo, o triplo da mais comum.

No mercado, esse valor dobraria subindo para R$ 6 mil. Com a prisão de Marcelo, somam cinco mortos em confrontos com a polícia e seis os detidos que integram o bando do John Lennon.

A polícia procura ainda por outros dois integrantes – Ilton Carlos Martins e Adeildo Alves Nunes – considerados foragidos. “Já temos informação do paradeiro e logo efetuaremos a prisão desarticulando assim essa quadrilha perigosa”, ressalta Bardal. O grupo de John Lennon já havia praticado assaltos em Curianópolis (Pará); Banco do Brasil em Parnarama (4 de fevereiro e 5 de junho); São Domingos (18 de março); Brejo (22 de abril); Tutóia (10 de abril); Buriti (24 de junho) no Maranhão; e no Piauí, agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, na cidade de José de Freitas, ambos dia 29 de abril.

A quadrilha de John Lennon agia nos estados do Pará, Piauí e São Paulo. Quando foi morto ele e seu grupo estavam prestes a assaltar a agência bancária no município de Grajaú, quando foi surpreendido pFoto 11 Armas e Drogas apreendida pela SENARC Foto Geraldo Furtadoelos policiais. Segundo a polícia, são mais de 12 assaltos a bancos – em dois destes conseguiram a quantia de R$ 1,5 milhão. O dinheiro teria sido para resgate de John Lennon da prisão, em 5 de abril. A marca registrada da ação dos integrantes da quadrilha era o uso de violência e de armamento de alto calibre – geralmente fuzis AK-47 – uma das mais potentes e só utilizadas pelo Exército. Outra característica da quadrilha eram os assaltos de ‘cara limpa’, não se importando em serem filmados durante os crimes.

Tráfico na capital

Mais uma investigação da Polícia Civil conseguiu desarticular outro grupo de tráfico de drogas no bairro Itapiracó. Após denúncia de que pessoas manipulavam drogas em uma residência no local foram detidas três pessoas e com o grupo, armas e drogas apreendidas. “Já estávamos monitorando este grupo e conseguimos detê-los e fazer estas apreensões”, ressaltou o titular da Senarc, Tiago Bardal.

As prisões ocorreram na tarde da última terça-feira (20). Estão detidos Wallace Lopes Silva, conhecido como Índio, 34; Mauro Henrique de Melo Ferreira de Faria, 32, que estava foragido da Justiça – ambos possuem condenação por tráfico de drogas; e a mulher de Wallace, Carlene da Silva Frazão, 34.

A polícia apreendeu com o trio porções de maconha, cocaína e cinco armas de fogo – três revolveres calibre 38, uma pistola 380 e uma pistola .45 (de uso restrito do Exército), além de facas e munição. O grupo e as apreensões foram apresentados na sede da Superintendência Estadual de Investigação Criminal (Seic).

Tráfico no interior

No interior do Estado, ação da Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI) conseguiu prender dois integrantes de uma quadrilha de traficantes que abastecia a região do baixo Parnaíba. As prisões foram na terça-feira (20) e os detidos Fabiano Rodrigues Lucena, de 38 anos e a mulher dele, Maria Ivonete Lima Pimentel Lucena, de 31, ambos estavam foragidos da Justiça.

A dupla havia sido resgatada da delegacia do município de Brejo, dia 9 deste mês. Há sete dias a equipe de polícia estava na busca para recapturá-los. Segundo o delegado da Regional de Chapadinha, Jackson Ferreira, que coordenou a ação, a dupla estava em Goiás e foram para a cidade de Patos, na Paraíba, onde ocorreu a prisão. “Com estas prisões desarticulamos a ação de tráfico naquele trecho”, ressaltou o delegado.