BOMBEIROS FAZEM TREINAMENTO DE RESGATE E SOCORRO NO RENASCENÇA

Na manhã desta quarta-feira (29), a população que passava pelo bairro do Renascença presenciou um treinamento de resgate e socorro de vítimas, realizado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA).

A ação, ocorrida no edifício residencial Bahrein, localizado na Rua Monção, s/nº, Renascença II, integra o plano de aperfeiçoamento e capacitação dos bombeiros de unidades de São Luís e interior do Maranhão.

Cerca de 30 profissionais participaram, entre militares do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O serviço contou com aparato de socorro composto pela Auto Escada Mecânica, além de viaturas de intervenção rápida, ambulâncias e motocicletas.

Os trabalhos foram executados pelas equipes do 1º Batalhão de Bombeiros Militar (1ºBBM). O objetivo é proporcionar uma rotina de capacitações para aperfeiçoar o atendimento das ocorrências em edifícios.

No treinamento desta quinta, os militares trabalham atendimento de urgência em casos de incêndios e socorro a vitimas. “Esta ação capacita a equipes para as ações de resposta de emergência.

É mais um trabalho educativo para os moradores em um conjunto de medidas vai resultar na excelência da prestação de serviço da corporação à sociedade”, destacou o comandante Operacional Metropolitano, tenente-coronel Paulo Andrade.

Planejamento tático

A proposta de o CBMMA simular uma ocorrência real, com deslocamento das guarnições, percorrendo todo o trajeto até o local do sinistro e os procedimentos adotados em casos de resgate de vítimas e no combate a incêndio em prédios.

Na ocasião, foram avaliadas técnicas de salvamento em altura e o nível de qualidade na intervenção de ocorrências desta natureza.

O treinamento tático operacional tem como propósito estabelecer os requisitos de padronização do plano de emergência contra incêndio, em fase de atualização pelo CBMMA.

Visa proteger a vida, proteger o meio ambiente e o patrimônio, melhorar a comunicação e a troca de informações operacionais e o atendimento de ocorrências.

São avaliadas as plantas de risco de incêndio dos edifícios visando facilitar atendimento prestado pelas guarnições de Bombeiros.

Para Aguinaldo da Silva Nunes, síndico e morador do prédio, foi uma atividade bastante produtiva que proporcionou avaliar o plano de emergência e segurança do prédio.

“O ponto principal foi entender e receber orientações de como o Corpo de bombeiros trabalha. No treino, foi repassado como devemos agir caso ocorra algum caso ocorra alguma situação verdadeira. Manter os equipamentos de emergência em dia é mais que uma exigência, é uma necessidade do prédio”.